ACP convoca políticos contra volta da CPMF

Ao mesmo tempo em que reafirmou críticas, ontem (08/11), a comentada reedição da CPMF, aventada por alguns dos governadores eleitos e pela Presidente eleita do Brasil, Dilma Rousseff, o empresário Edson Ramon, que preside a Associação Comercial do Paraná, convocou “a bancada política paranaense, independente de partidos, a articular-se para posicionar-se claramente contrária à esta pretensão”. A ACP foi uma das primeiras entidades do país a mobilizar forças da sociedade, em 2007, para reivindicar a extinção deste imposto que havia sido criado em 1994. Segundo Ramon, o assunto sobre a CPMF ser trazido novamente à baila “é um retrocesso, algo muito lamentável”.

De acordo com o presidente da ACP, há uma verdadeira indignação e um grande descontentamento entre os empresários. “Se esta volta acontecer, mais uma vez estaremos na contramão de tudo o que precisamos. Ao invés de desonerar, estaremos onerando ainda mais o empresariado, mormente as empresas menores, que não agüentam a carga tributária que pagamos no país”. Ramon também lembrou que enquanto vigorou, a CPMF não cumpriu seu objetivo de amenizar os problemas da saúde. “O problema da saúde, como de outros setores, não é de recursos, mas de administração pública. Inclusive porque, mesmo após a extinção da CPMF, a arrecadação cresceu. Temos, sim, é que baixar os gastos públicos”. O empresário reafirmou que, além da mobilização de entidades e outros organismos de classe, “a população precisa estar atenta para qualquer movimento que haja dos homens públicos para trazer de volta a CPMF. Este país, com a incitação de impostos, inclusive cumulativos, não é o Brasil que queremos”.