ACP homenageia empresas históricas e ex-governador Lerner no Dia do Comerciante

Precursor do progresso, comércio é fator de desenvolvimento econômico e social

“É nobre a arte de comercializar”, declarou o presidente Edson José Ramon, presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), sintetizando a homenagem prestada nessa segunda-feira (16) às empresas Glaser Presentes e Irmãos Abage, pelo transcurso do Dia Nacional do Comerciante. A homenagem se estendeu também ao ex-governador e ex-prefeito Jaime Lerner, que “com inteligência e planejamento implantou em Curitiba um projeto urbanístico, logo seguido em muitas cidades do Brasil e exterior, que em muito beneficiou a atividade comercial”, justificou. Os homenageados receberam placas comemorativas.

Ramon lembrou que a origem do Dia do Comerciante está na influência exercida por José Maria Lisboa, o Visconde de Cayru, sobre o imperador Dom João VI, que em 1808 determinou a abertura dos portos brasileiros ao comércio com as nações amigas. Em 1953, o presidente do Senado da República, João Café Filho, referendou o projeto de lei instituindo a data de nascimento de Lisboa (16 de julho) como Dia Nacional do Comerciante.

Em seu discurso, o presidente da ACP também se referiu à importância dos antigos mascates e caixeiros viajantes, eles também comerciantes, “que percorriam enormes distâncias para levar seus produtos e satisfazer as necessidades da população”. Dessa forma, o comércio tornou-se “um dos grandes precursores do desenvolvimento socioeconômico da sociedade”.

História e tradição
O evento foi organizado pelo Conselho das Câmaras Setoriais, coordenado pelo vice-presidente Camilo Turmina, que fez a apresentação das empresas homenageadas – Glaser e Abage — representadas no evento pelos sócios-proprietários Mario Fernando Glaser e Jorge Dib Abage. A saudação ao ex-governador Jaime Lerner foi feita pelo vice-presidente Gláucio Geara, para quem a obra realizada pelo arquiteto e urbanista “trazia a marca da sustentabilidade quando a expressão ainda não havia se tornado corrente nos fóruns sociais”.

Ao agradecer a homenagem, Lerner lembrou de quando ajudava os pais na loja da Barão do Rio Branco: “Aprendi que o outro lado do balcão deve estar ligado às vontades e necessidades do povo. Na loja de meus pais pude conviver com lavradores, políticos, comerciantes e tive minhas primeiras noções de arquitetura”.

Com 125 anos de atividades a Glaser Presentes é a sucessora do antigo armazém de secos e molhados fundado pelo imigrante austríaco Wenceslau Glaser, na esquina das ruas Comendador Araújo e Visconde do Rio Branco, na então histórica estrada de Mato Grosso. Por sua vez, instalado em 1925, na Lapa, o núcleo gerador da empresa Irmãos Abage, anos depois transferido para Curitiba (Carlos de Carvalho com Visconde de Nacar), chegou aos 87 anos de vida. As empresas foram lembradas pela tradição e inovação no comércio curitibano nos ramos de presentes finos, materiais de construção, hidráulicos e elétricos.