ACP pesquisa perfil do consumidor

Mais de 15 mil pessoas foram ouvidas sobre causas da inadimplência em Curitiba 

A Associação Comercial do Paraná (ACP) realizou entre os dias 11 e 23 de março uma pesquisa sobre o perfil do consumidor, em amostragem obtida a partir do universo de 15.502 pessoas que procuraram o setor de consultas, em busca de informações quanto a restrição de débitos para seu CPF. 

A pesquisa coordenada por Simone Scuissatto, supervisora da área de serviços da ACP, realizou entrevistas com 441 consumidores, os quais forneceram dados como sexo, idade, renda familiar, motivação para a realização da consulta do nome, causa da inadimplência, desemprego, forma de pagamento usada na compra, intenção em relação à dívida, recursos utilizados para quitar ou se pretende quitar os débitos, oferta de quitação de débito por parte do credor, e se pretende fazer compras nos próximos meses.

A pesquisa mostrou que 52% dos consumidores que procuraram o SCPC são do sexo feminino e 48% do sexo masculino. A idade dos entrevistados varia entre 21 e 60 anos. Quanto à renda familiar, a maioria (31%) ganha mensalmente de um a dois salários mínimos, ao passo que 22% recebem até um salário mínimo e 14% entre dois e três salários mínimos.

Crédito barrado

A pesquisa indicou ainda que os motivos que levaram o consumidor a procurar informações pessoais sobre crédito foram crédito barrado (37%), carta informando que o nome seria incluído no SCPC (28%) e se houve exclusão do nome após o pagamento da dívida (14%).

Os fatores que causaram a inadimplência foram o desemprego (31%), empréstimo do nome (27%) e descontrole dos gastos (15%). Assim como havia ocorrido nas pesquisas realizadas no ano passado, carnês foram a forma de pagamento utilizada por 33% dos consumidores, cheques por 24%, e cartões de lojas por 20% dos consultados.

Entre os consumidores que procuraram os estabelecimentos onde fizeram compras, 41% pleitearam a negociação do débito, enquanto 32% declararam a disposição de efetuar o pagamento quando houver disponibilidade. Salário e corte de gastos foram citados por 48% dos consumidores para a quitação de débitos, enquanto para 20% a alternativa está nos recursos provenientes de férias ou 13º salário.

Perguntados se houve da parte do credor alguma proposta de quitação do débito, 57% responderam negativamente, mas 34% disseram ter recebido tal oferta. A intenção de fazer novas compras nos próximos meses foi relatada por 34% dos inadimplentes, ao contrário de 45% que não pretendem comprar.

A pesquisa da ACP confirma o indicativo de que o consumidor ainda não aprendeu a usar seus recursos financeiros com responsabilidade, planejar gastos e equilibrar o orçamento pessoal e familiar.