ACP vai criar fórum para debater temas regionais e nacionais

Integrantes dos conselhos terão atuação efetiva na formulação de pautas institucionais

Atendendo ao convite de Gláucio José Geara, vice-presidente e coordenador do Conselho Político da Associação Comercial do Paraná (ACP), cerca de 1/3 dos integrantes dos conselhos estatutários da instituição (Superior, Deliberativo e Fiscal) reuniu-se nessa terça-feira (21) na sala magna com o objetivo de abrir a discussão sobre a criação do Fórum de Debates dos Conselhos da ACP.

A convocação foi prestigiada pelos vices-presidentes Odone Fortes Martins, Sinval Lobato Machado, Airton Hack, Camilo Turmina, Henrique Domakoski, Edda Deiss de Melo e Silva e Jandira Scussel, além dos consultores econômicos Heron Arzua e Maurílio Schmitt. Estiveram presentes o ex-vice-presidente Luiz Celso Branco, Gilmar Godoy, presidente da Coppel Brasil, os conselheiros Luiz Alberto Lenz César, Eduardo Aichinger e Gabriel Veiga Ribeiro, os advogados Cleverson Marinho Teixeira, José Carlos Regis e Rodrigo Fortunato Goulart e vários associados.

A ideia geral exposta pelo coordenador do Conselho Político, posteriormente detalhada por Odone Fortes Martins visa integrar o potencial elevado dos três conselhos estatutários na composição do fórum de debates para o exame abrangente de temas de interesse social, político e econômico, seguindo uma das principais características da entidade.

Agenda futura

Odone referiu-se a algumas matérias em trâmite no Congresso, que devem constar da futura agenda de discussões do fórum, tendo em vista a necessidade de acompanhamento e atenção por parte da classe empresarial, tais como a desoneração da folha de pagamentos, alterações no FGTS penalizando o não recolhimento com multas elevadas, indexação trimestral dos salários e a indexação dos contratos.

Geara explicou também que o tema foi levado à discussão “em atendimento a uma demanda do presidente Edson José Ramon, preocupado com a ampliação do espaço para o exame de pautas políticas e institucionais com o direito à voz, democraticamente, garantido a todos os conselheiros”. O fórum deverá igualmente contribuir para a elaboração de propostas em vários níveis, a fim de marcar definitivamente a posição da ACP perante a sociedade, “confirmando sua imagem de credibilidade e respeito à ética”, afirmou.

O coordenador agradeceu a acolhida da sugestão do novo fórum, lembrando que o mesmo “contribuirá para fortalecer ainda mais a ação das câmaras setoriais e comitês que já operam no âmbito da Casa”.