Borghetti debate questão da água em reunião do CJE

Biólogo fala sobre utilização do recurso e a necessidade de investimentos no setor   

Um dos recursos naturais que atualmente desperta maior preocupação sobre a disponibilidade futura é a água. O assunto foi debatido no Bumerangue de Ideias do Conselho de Jovens Empresários (CJE), da Associação Comercial do Paraná (ACP), na última segunda-feira (7). O tema foi abordado pelo biólogo  José Roberto Borghetti, também consultor nacional da FAO, órgão da Organização das Nações Unidas (ONU). Ele discorreu sobre o Aquífero Guarani, uma das maiores reservas subterrâneas de água no mundo.      

Segundo Borghetti, hoje somente 2,5% de toda água existente é doce, estando as reservas localizadas em terras úmidas e nos pólos. Desse total, somente 0,08% está disponível para consumo, tornando a situação preocupante para as projeções futuras. A agricultura tem um desperdício de 50% do recurso em sua produção, alertou Borghetti, para quem “é preciso trabalhar melhor o uso dos recursos naturais”.

Nesta perspectiva, o Aquífero Guarani é uma grande vantagem no cenário brasileiro. Só no Paraná, o aquífero está presente em 65% do território. “Infelizmente não há uma norma adequada e bem definida de quanta água se pode retirar”, diz Borghetti. Justamente pelo potencial econômico e industrial do país, é necessário que mudanças na mentalidade das autoridades e investimento sejam efetuadas para o setor.