Câmaras setoriais da ACP debatem trânsito

Com a presença de Marcos Trad, diretor-geral do Detran-PR, e Christiane Yared, criadora do Instituto Paz no Trânsito (Iptran), integrantes de câmaras setoriais da Associação Comercial do Paraná (ACP) participaram nessa terça-feira (10), de um debate sobre as condições do trânsito em Curitiba. O coordenador das câmaras setoriais e vice-presidente Camilo Turmina, abriu o encontro lembrando a questão da mobilidade, “que é difícil e complexa, mas precisa ser organizada rapidamente porque é vital para a população”.

Christiane Yared, mãe de Gilmar Rafael, morto há três anos em fulminante atropelamento, assinalou que o objetivo essencial do Iptran é difundir seu projeto de educação no trânsito, tendo em vista o acúmulo de acidentes com vítimas fatais, em grande parte causados por motoristas embriagados. Disse ela que o instituto conta com o apoio de psicólogos, pedagogos e educadores, revelando que até esse momento mais de 1,8 mil palestras motivacionais para conscientização, mudança de comportamento e fiscalização foram realizadas em escolas, igrejas e associações comunitárias. “Temos programas de apoio, inclusive, para motoristas causadores de acidentes que resultaram na morte de terceiros”, informou.

Entretanto, a atuação mais importante do Iptran, segundo Christiane, “é o apoio psicológico oferecido às famílias atingidas pela autêntica guerra no trânsito existente em nossas cidades”. Narrando a dramática experiência da morte de Gilmar Rafael, Christiane afirmou emocionada: “Não conheço ninguém em todo o Brasil, com uma única exceção, que esteja preso por ter dirigido embriagado e causado a morte de alguém”.

Gestão e qualificação

Além da gestão e qualificação do quadro de servidores, o Detran-PR está investindo pesadamente em projetos de educação para o trânsito, como o “Se Liga no Trânsito”, cujo edital será lançado dentro de 90 dias. A informação foi dada pelo diretor-geral da entidade, Marcos Trad, para quem “os problemas do trânsito devem ser equacionados com o auxílio dos moradores da cidade, pois são eles os que mais convivem com as dificuldades”.

Trad lembrou também que “dirigir veículo não é um direito, mas uma concessão”, daí a necessidade de maior rigor nos processos de habilitação, “tendo em vista o grande número de pessoas que dirigem carros sem a necessária habilidade”. De acordo com o diretor-geral, o Detran está em fase de realinhamento institucional “após ter feito o mapeamento de seus principais gargalos, o que resultou no programa “Detran para Todos”, cuja finalidade é a melhoria da prestação de serviços à sociedade.