Comércio apresenta maior cautela na preparação para o Natal

A alta da inflação aliada a um menor crescimento da economia doméstica e ao endividamento dos brasileiros, além do impacto causado pela crise global no país, traz um sentimento diferente aos lojistas curitibanos para o Natal deste ano: cautela – artigo raro em 2010. Uma sondagem encomendada pela Associação Comercial do Paraná (ACP) ao Instituto Datacenso, divulgada nesta segunda-feira (7), mostra que o otimismo do comércio caiu bastante nos últimos meses. A expectativa de crescimento também mudou e dos 14% de aumento que eram cogitados, agora já se fala em 8%.

Apesar de a maioria dos comerciantes ouvidos pelo levantamento (57%) responder que vai aumentar seus estoques para o final de ano, houve uma queda significativa desse percentual, que já foi de 80% em setembro, revelando maior prudência.

Observa-se, no entanto, que quase metade dos lojistas entrevistados (47%) já está preparando alguma estratégia para promover as vendas de Natal e tentar reverter essa situação. Em setembro, apenas 30% deles tinham alguma ação programada para aquecer as vendas. As principais ações serão: realização de promoções; sorteios; brindes; campanhas e investimentos em publicidade. Houve aumento, também, daqueles que consideram que o volume de vendas será igual ao de 2010. O índice passou de 20 para 36%.

Quanto à contratação de mão de obra, 66% dos entrevistados afirmaram que não contratarão temporários para dezembro, diferente da realidade de setembro, quando 32% tinham revelado a intenção de não contratar. Entre outros fatores que explicariam essa maior prudência por parte dos lojistas, a diminuição do poder aquisitivo, a queda de expectativa futura do consumidor e a desaceleração das vendas depois do Dia das Crianças.

A sondagem ouviu 200 comerciantes, entre os dias 25 e 28 de outubro, com margem de erro de 7%.