Comércio demonstra otimismo para negócios em 2013

Segundo pesquisa da ACP, 61,5% dos empresários aguardam bons resultados. Investimento em mão-de-obra também foi destacado.

 Uma pesquisa encomendada pela Associação Comercial do Paraná (ACP) com 200 proprietários e gerentes de estabelecimentos da capital mediu a expectativa do comércio com relação aos negócios para 2013. Mais de 20 ramos de atividade foram consultados pelo Instituto Datacenso e os resultados apontaram que 61,5% dos empreendedores estão entusiasmados com as oportunidades para o ano que se inicia. Enquanto isso, 17,5% optaram pela cautela, preferindo aguardar o movimento do primeiro trimestre. Para 16,5% dos entrevistados o sentimento é de preocupação com a economia e 4,5% se mostraram desanimados.

 A pesquisa também indagou os comerciantes sobre quais seriam os fatores mais importantes na estratégia das empresas para obter crescimento em 2013. Cerca de 40% dos entrevistados acham que foco principal deve estar na satisfação do cliente. Para 18% dos gestores a satisfação dos funcionários é o que faz a diferença, e em terceiro lugar na prioridade dos lojistas está a incorporação de novos produtos e serviços, com 14%.

Segundo o coordenador da Câmara Setorial de Confecções da ACP, Rui Machado, todos os detalhes fazem a diferença no resultado das vendas, mas Machado destaca que o treinamento da equipe é indispensável para o empresário que busca expandir os negócios em 2013. “Todos os segmentos devem treinar seus colaboradores, não só em suas atividades corriqueiras, mas também em outras áreas, objetivando profissionais aptos para assumir as demais funções no momento em que for preciso. Devemos sempre lembrar que o consumidor quer preço, qualidade e, hoje mais do que nunca, bom atendimento”, afirma. O coordenador lembra, ainda, que muitos empregados aproveitam a experiência para abrir o próprio negócio.

Serviços de apoio ao cliente, estacionamento, realização de pesquisas sobre as preferências do consumidor, fortalecimento das vendas pela internet, além da reforma e modernização das lojas também foram lembrados pelos comerciantes. Para o empresário e vice-presidente da ACP, Antonio Miguel Espolador Neto, o último item é fundamental. “Além da qualificação da mão-de-obra, é importante modernizar a loja com frequência, pois o cliente sempre procura por novidades e não se sente atraído por uma loja velha e repetitiva, diz.