Comércio varejista registrou alta de 4,79% em 2011, enquanto inadimplência cresceu 5,3%

As vendas do comércio varejista cresceram 4,79% em 2011 ante o ano anterior, enquanto que a inadimplência aumentou 5,34%, informou nesta sexta-feira (6) a Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e o SPC Brasil. Segundo o presidente da entidade, Roque Pellizzaro Junior, a taxa deve começar a desacelerar já no primeiro trimestre do ano, com o efeito do aumento do salário mínimo. “Além disso, a inflação foi um ‘vilão’ para o consumidor em 2011, que apesar de ter ficado dentro do teto da meta foi bastante alta”, disse ele.

Já para este ano, a perspectiva da CNDL é de um crescimento de 4,5% nas vendas e de um aumento de, no máximo, 2,5% na inadimplência. Conforme explica o economista Cláudio Shimoyama, da Associação Comercial do Paraná (ACP), a maioria dos inadimplentes pretende pagar as suas dívidas para retomar as compras no crediário. “O aumento real do novo salário mínimo (9,2%), que acrescentará R$ 924,00 a renda anual das famílias, será o grande incentivador para o consumidor pagar as suas dividas e ainda fazer novas compras”, afirmou.

Ainda segundo Shimoyama, a alta na inadimplência em 2011 teria sido causada pela crise financeira internacional, que provocou instabilidade econômica, fazendo com que o governo aumentasse as taxas de juros e diminuísse a confiança do consumidor. “O aumento do poder aquisitivo principalmente das classes C e D, e maior oferta de crédito elevou o grau de endividamento das famílias e, consequentemente, o descontrole nos gastos”, justificou o economista, que aposta: “a única preocupação é o nível do endividamento dos consumidores com o novo salário mínimo, principalmente pelos consumidores mais jovens”.