Conjunto de militares foi a sensação de caminhada anti-droga

O show de lançamento da campanha “Perdeu”, de orientação contra drogas, no último sábado (12.02), em Guaratuba, ficou por conta de uma banda formada por sete policiais militares, conduzida pelo sargento Marcos Roberto de Oliveira, que é maestro e vocalista da banda.

“Hoje, simplesmente a palestra assumiu ares de repressão. Temos que usar a música, com mensagem positiva, para que o adolescente possa nos ouvir. E fazemos isto dentro dos princípios da Polícia Comunitária”, explicou Oliveira, fardado, assim como os demais componentes do conjunto musical.

A apresentação da banda dos policiais, além de um conjunto de rap, o “Perdeu”, deu início, às 10 horas, ao evento promovido pelo Conselho de Ação para Sustentabilidade Empresarial (Casem) da Associação Comercial do Paraná (ACP), com o apoio da Prefeitura e da Associação Comercial de Guaratuba.

Houve uma caminhada em direção ao Morro do Cristo, com a distribuição de cartazes e folders da campanha pela praia.

“O objetivo é conscientizarmos os jovens sobre os perigos das drogas. E não só isto, mas abrirmos um canal de apoio, com orientação e indicações, para aqueles que se drogam e aos seus familiares”, disse o médico Niasy Ramos, coordenador do Casem.

“Envolvemo-nos diretamente na campanha porque entendemos o valor de sua mensagem”, afirmou Fausto Mota, presidente da Associação Comercial de Guaratuba.

A mesma campanha já foi lançada em Caiobá, no dia 15 de janeiro, e eventos iguais deverão ocorrer em Paranaguá, Matinhos e Pontal do Paraná, sempre com um formato novo, além da divulgação tradicional (outdoors, folhetos, veículos de comunicação etc.).

Os transeuntes do Calçadão de Guaratuba surpreendiam-se, na manhã do sábado, ao ver cabos, soldados e sargento da Policia Militar, fardados e armados, empunhando guitarra, contrabaixo, bateria, teclado etc., envolvidos no rock e outros gêneros musicais.

“Não é porque sou policial que sou melhor ou pior que as outras pessoas. Estamos cumprindo nosso papel de cidadãos”, comentava o sargento Oliveira, de 39 anos, entre um rock e outro.

A ideia de juntar os músicos policiais em um conjunto surgiu, em abril de 2007, para animar as festas trimestrais de formatura de Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd).

Agora, há escolas e outras instituições, que abrigam crianças e adolescentes, que os convidam para apresentações.

Perguntado sobre a experiência, o sargento Oliveira responde com um verso da música “Pescador de Ilusões”, de O Rappa, sempre executada por eles nesses encontros e que quase o deixou rouco em Guaratuba: “Valeu a pena”.

 

Passeata

Passeata Passeata Passeata Passeata Passeata Passeata