Debate sobre varejo reúne mais de 200 empresários

Economia, crédito, perfil de consumo e perspectivas para 2013 foram analisados por especialistas

Uma oportunidade para examinar a conjuntura econômica com base em palestra proferida pelo economista Maurílio Schmitt e exposições dos especialistas Mário Valério Gazin (Grupo Gazin), Dorival Dourado (Boa Vista Serviços), Hilgo Gonçalves (Losango) e Márcio Pauliki (Mercadomóveis), foi desfrutada por mais de 200 pessoas que participaram do Meeting Paranaense de Varejo, realizado na última sexta-feira (15) pela Associação Comercial do Paraná (ACP).

O economista Maurílio Schmitt, professor do departamento de economia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e consultor da ACP, entre outros itens, comentou a sistemática do governo na concessão de isenções a setores específicos da atividade produtiva, preterindo investimentos em setores estratégicos como a educação, gerando uma série de problemas futuros. Destacou também a precariedade da infraestrutura e dos programas de treinamento e capacitação de mão de obra.

Os debatedores se demonstraram otimistas com o crescimento da área de varejo em 2013, com destaque para o tratamento adequado de características regionais, que na visão pessoal de Márcio Pauliki, principal executivo da Mercadomóveis, sediada em Ponta Grossa, “a cultura local tem sido imediatamente absorvida pela expansão da rede”, dando o seguinte exemplo: “Em Curitiba a Mercadomóveis patrocina a stockcar, mas em Imbituva, a opção foi pela corrida de cágados”.

Mário Gazin afirmou que “a cada cinco pessoas que trabalham, uma está alocada no setor de varejo”, e que o segredo “é nunca estar satisfeito com o negócio”, ao passo que para Hilgo Gonçalves, CEO da Losango, financeira ligada ao HSBC, “no Brasil o crédito representa 53% do PIB, mas tem condições de crescer como nos países desenvolvidos que superam os 100%. No Chile, por exemplo, o mercado de crédito já equivale a 65% da soma daquilo que é produzido anualmente no país”.

O CEO da Boa Vista Serviços, Dorival Dourado, defendeu a implantação do cadastro positivo, banco de dados de alcance nacional com informações sobre consumidores que pagam compromissos em dia, como valioso instrumento para a segurança do varejo.

Lembrou também que o Brasil é o único país do bloco do G20 que ainda não estabeleceu os marcos legais para a implantação do cadastro, citando que a Boa Vista Serviços, a exemplo do SCPC, estará entre os pioneiros na oferta de mais essa ferramenta de mercado.