Dia de arte em ação contra violência no Centro de Curitiba

Em pouco tempo de parceria, moradores e comerciantes do Centro conseguiram revitalizar praça e lutam, agora, para que o lugar volte a ser ponto de encontro das famílias curitibanas.

Que o envolvimento da comunidade nas questões de segurança pode tornar as políticas de combate à violência mais eficazes, ninguém discorda. Especialistas afirmam, inclusive, que a aproximação da população neste tipo de causa ajuda a resolver uma série de impasses gerados, principalmente, pelo aumento da criminalidade nos grandes centros.

Na região central da cidade, por exemplo, moradores e comerciantes reclamavam da falta de segurança na Praça Eufrásio Correia (em frente ao Shopping Estação) e de­­­ci­­­diram agir. Com apoio do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) da Área Central e do projeto Centro Vivo, da Associação Comercial do Paraná (ACP), eles conseguiram, em menos de um ano, a revitalização de 70% do local. O feito foi comemorado na manhã desta terça-feira (16), numa ação conjunta com a Prefeitura da cidade, Polícia Militar do Paraná, Guarda Municipal, Polícia Civil e Instituto de Defesa dos Direitos Humanos (Iddeha).

De acordo com a presidente do Conseg, Malu Gomes, a reforma da praça começou em agosto do ano passado, dentro do programa “Viva a Praça”. “Reunimos entidades de vários segmentos e criamos este projeto que visa estimular o bom uso dos espaços públicos”, disse. Um ponto importante executado pelo grupo nesta iniciativa, segundo ela, foi a ocupação do local por parte da população. “Antes o espaço ficava abandonado, mas está voltando a ser um ponto de encontro depois da revitalização”, completou Malu.

O vice-presidente da ACP, Camilo Turmina, que representou o presidente da entidade, Edson Ramon, no evento, estimulou a participação da comunidade neste tipo de ação. Conforme disse ele, “experiências, neste contexto, mostram que quando os vizinhos se articulam, cuidam do espaço público e fazem uma vigilância no bairro, a tendência é a queda no número de crimes e apropriação desses locais, que, afinal, são de todos”.

Programação

Entre as atrações, que começaram às 9 horas, houve a apresentação das bandas da Polícia Militar e do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), do coral da Polícia Civil, além de brincadeiras para as crianças e tendas para aferição de pressão e testes de glicemia.

Créditos: Felipe Rosa 

Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa 

Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa 

Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa 

Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa 

Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa