Embaixador da Áustria destaca intenção que o país tem de investir no Brasil

Com 1% do território brasileiro, país europeu tem fome de investimentos

O embaixador da Áustria no Brasil, Hans Peter Glanzer, esteve na Associação Comercial do Paraná (ACP), na manhã desta quarta-feira (19), para participar de um café da manhã com empresários paranaenses, promovido pelo Conselho de Comércio Exterior e Relações Internacionais da casa (Concex-RI). Na ocasião, ele apresentou um rápido panorama da atual situação econômica do seu país e falou da intenção que os austríacos têm de estabelecer relações comerciais com o Brasil.

Segundo ele, a Áustria tem vínculos históricos com o país desde o século XIX, quando as primeiras relações diplomáticas foram estabelecidas. Glanzer mencionou o casamento de Dom Pedro I com Maria Leopoldina da Áustria, a Princesa Leopoldina, na década de 1880, como um dos principais fatos que iniciaram essa parceria entre as nações. Ainda segundo o embaixador, “há atualmente 200 empresas austríacas instaladas no Brasil, uma das maiores delas inclusive (a Haas do Brasil), presente na cidade de Curitiba”.

Glanzer também falou que o país europeu foge apenas dos investimentos no Turismo e Agricultura e apresenta uma economia industrial bastante forte. “A Áustria apresenta uma economia firme e espera 3% de crescimento no Produto Interno Bruto (PIB). A taxa de inflação está em 3% e o índice de desemprego é um dos menores da União Européia, com 4%”, disse.

O cônsul comercial da Áustria em São Paulo, Ingomar Lochschmidt, também esteve presente no evento e reforçou a intenção da troca de expertise entre investidores brasileiros e austríacos. Segundo ele, embora seu país represente apenas 1% do território nacional, equivalente ao tamanho do estado de Pernambuco, os empresários podem pensar na Áustria quando tiverem interesse em internacionalizar. Ainda de acordo com o cônsul, “o clima austríaco também é muito favorável”. 

O vice-presidente da ACP e coordenador do Concex, Odone Fortes Martins, explicou que o encontro fez parte do programa “ACP das Nações – Cooperação Sem Fronteiras”, cujo objetivo é estabelecer relações sociais e econômicas com 150 países até o final do ano que vem. Martins enfatizou, também, o interesse da entidade em estimular os empresários austríacos a incluírem a cidade de Curitiba e o Paraná no roteiro de investimentos deles. “Temos um ambiente propício para fazer negócios”, afirmou.