“Está dentro do cronograma”, diz secretário Mário Celso

Ao falar sobre os andamentos das obras para a realização da Copa do Mundo da  FIFA no Brasil, em 2014, e os benefícios que o evento proporcionará ao país e especificamente para Curitiba e, consequentemente, para o Paraná, o secretário especial para Assuntos da Copa do Mundo 2014, Mário Celso Cunha,  afirmou que “estamos rigorosamente dentro dos prazos estabelecidos pela FIFA”. Ele garantiu, por exemplo,  que 70% das obras da Arena da Baixada, que sediará os jogos, já estão prontas. O evento deverá movimentar US$ 183 bilhões e gerar mais de US$ 9 bilhões, enquanto a renúncia fiscal nas sedes está estimada em US$ 288 milhões. 

  Com isso, o secretário, que tratou da questão em reunião do Conselho da Mulher Executiva (CME) da Associação Comercial do Paraná (ACP), no início da noite desta quarta-feira (11), respondeu às críticas negativas de setores da sociedade e da mídia, que dizem que a Copa poderá ser um fiasco, porque as obras estão atrasadas. “A Copa é o maior evento esportivo do Planeta. Assumimos esse desafio e vamos vencê-lo, apesar de haver gente dizendo que nada vai dar certo. A própria presidente Dilma Rousseff está empenhada  em dotar o país de todas as condições para sediar os jogos e receber os turistas, porque isso é bom para todos nós”, acrescentou, ao lembrar que foi a mídia negativa, e infundada, que afugentou milhares de turistas da Copa da África, em 2010.  

Mário Celso adiantou que os benefícios a serem proporcionados pela realização da Copa serão imensos, não só para as cidades que sediarão os jogos, mas para todos os estados e o país. “Estaremos na mídia mundial”, enfatizou, ao destacar que para a cobertura do evento já se cadastraram, junto à FIFA, 18.850 jornalistas de 214 países. Os jogos deverão ser assistidos por 5 bilhões de pessoas ao redor do mundo.

O secretário disse ainda que por ser um “evento altamente comercial, pois a  Copa é para turista” é preciso saber  aproveitar o que ele pode proporcionar para as cidades. Por exemplo, o Paraná tem 35 destinos de turismo e a organização no estado pretende interligar a Copa a estas cidades. “Como haverá intervalo de 72 horas entre um jogo e outro e considerando que 25% dos turistas deverão permanecer mais tempo por aqui, queremos aproveitar esse potencial e incrementar o turismo no estado”, acrescentou, lembrando que, dos atuais 18,5 mil leitos oferecidos pela rede hoteleira de Curitiba, já foram contratados 13 mil. “A meta é chegar à Copa com a oferta de 20 mil leitos na cidade”, disse.

Recebido pelo 1º vice-presidente da ACP, Sinval Zaidan Lobato Machado, e pela vice-presidente e coordenadora do CME, Kazuco Akamine, além de outros vice-presidentes da entidade, Mario Celso ainda lembrou que, segundo estimativa do Ministério do Trabalho e Emprego, a Copa deverá gerar 700 mil empregos no país, dos quais 400 mil permanentes. Além disso, lembrou que as obras demandadas pelo evento ficarão para a posteridade. E sintetizou os benefícios da Copa do Mundo para a cidade, estado e país: “Visibilidade internacional; aumento do fluxo de turistas; obras nas doze sedes e cidades vizinhas; aperfeiçoamento da infraestrutura do país; ampliação do turismo interno; uma janela enorme de oportunidades; fortalecimento do orgulho cívico e patriotismo; marca uma geração e a história de um povo; cria mais  empregos e aumenta a arrecadação de impostos.”

Presentes – Cerca de 60 pessoas assistiram à explanação de Mario Celso sobre a Copa, entre elas, a ex-presidente da ACP, Avani Slomp Rodrigues, a coordenadora do Conseg-Centro, Malú Gomes, o representante da ACP no Comitê da Copa, Paulo Roberto Brunel,  a vice-presidente cultural da Câmara de Comércio Brasil-Portugal, Gladys Gama França, os vereadores Julião Sobota e Noêmia Rocha. 

Créditos: Felipe Rosa 

Créditos: Felipe Rosa Créditos: Felipe Rosa Créditos: Felipe Rosa Créditos: Felipe Rosa Créditos: Felipe Rosa

Créditos: Felipe Rosa Créditos: Felipe Rosa Créditos: Felipe Rosa Créditos: Felipe Rosa Créditos: Felipe Rosa

Créditos: Felipe Rosa