Gleisi defende impostos sobre renda e patrimônio

No segundo debate da série com os candidatos paranaenses ao Senado Federal promovido pelo Conselho Político da Associação Comercial do Paraná, a candidata do PT, Gleisi Hoffmann, falou, na última segunda-feira (23/08), sobre inúmeros aspectos da vida econômica e política nacional, especialmente da necessidade das reformas política, tributária e previdenciária. As três constam, além de uma série de reivindicações pontuais, de um documento entregue à candidata pelo coordenador do Conselho Político, Marco Antônio Peixoto.

Sobre a reforma tributária, Gleisi afirmou que há uma carga excessiva de impostos sobre o consumo, a produção e o trabalho. “Temos de focar impostos sobre renda e patrimônio. Não me parece que precisamos só da redução de impostos, mas precisamos ter braços do estado para políticas públicas”. O presidente da ACP, Edson Ramon, achou que a proposta de Gleisi “ deveria conter uma explicação de qual a lógica do tributo. Precisamos é de desoneração e não de onerar ainda mais a sociedade”. Ramon comentou que “o governo taxar patrimônio pelo simples fato de uma pessoa possuí-lo é a pior coisa que pode existir, o chamado tiro no pé da população. O patrimônio não gera renda. Se uma pessoa tem uma casa, sem renda, ela perderá esta casa ao longo dos anos pagando tributos”. Segundo Ramon, o governo deveria diminuir drasticamente os gastos públicos e não criar novos impostos para substituir eventualmente os que queira reduzir.

O candidato Ricardo Barros (PP), que também tenta se eleger ao Senado, ainda não confirmou agenda para debates na ACP. O candidato do PSDB, Gustavo Fruet, estará na ACP no próximo dia 1º (quarta-feira) e Rubens Hering (PV) conversará com os empresários no dia 30 de setembro.