Há quanto tempo você não chama seu cliente para tomar um cafezinho na sua empresa?

Consultor em vendas diz que bom relacionamento com o cliente faz toda diferença.

Seja em casa, na padaria, ou mesmo no escritório, o ato de tomar café sempre reúne pessoas. O momento propicia partilha, descontração e estreita os laços afetivos. Então, por que não usá-lo para melhorar o relacionamento que você tem com o seu cliente? Com essa reflexão, o consultor de varejo Luiz Carlos Tiossi instigou vendedores e lojistas de Curitiba a pensarem há quanto tempo não chamam seus clientes para “tomar um cafezinho” em suas empresas. Não no sentido de convidá-los para, literalmente, tomar a bebida, mas de promover as boas sensações que o encontro oferece. Ele esteve na Associação Comercial do Paraná, nesta terça-feira (26), ministrando a palestra “Vendas ontem, hoje e amanhã: Prepare-se para um futuro de sucesso”, por intermédio da Universidade Livre do Comércio (ULC).

Utilizando uma abordagem descontraída e motivadora, o consultor fez um resgate dos principais artifícios que fizeram sucesso com os clientes no passado, abordando os que jamais podem ser deixados de lado e também as necessidades do futuro, sempre enfatizando a postura que o profissional de vendas deve ter. Segundo ele, o primeiro passo para obter sucesso no ramo, é encarar a profissão com seriedade. “Muitas vezes o vendedor fala do trabalho de maneira sofrida, como se tivesse tentado várias outras profissões e acabou ali por falta de opção”, disse ele. “Mais do que um ‘bico’, a atividade está presente no dia-a-dia de qualquer um e pode formar profissionais muito bem sucedidos”, completou. Tiossi também desmistificou o universo das vendas, afirmando que as relações comerciais não devem ser enfrentadas apenas como a troca de produtos ou serviços por dinheiro, mas troca de valor por valor. “Devemos entender que negociamos o que é importante para uma determinada pessoa pelo que é importante para outra”, explicou.

O consultor fez, ainda, um resgate do comportamento dos vendedores de antigamente, que ao perceberem a falta do seu cliente, visitavam-no em sua residência para saber o motivo da ausência. De acordo com ele, o consumidor é carente de atenção e os comerciantes precisam saber cativá-lo com telefonemas, mensagens e correspondências, por exemplo, “ou ele irá tomar cafezinho em outro lugar”, alertou.

A pata e a galinha

Outra orientação importante feita por Tiossi é quanto à divulgação do seu produto. “De nada adianta você ter um ótimo produto ou serviço, se não souber oferecê-lo e anunciá-lo ao seu cliente”, disse. Para elucidar a dica, ele usou o exemplo da galinha e da pata. Sabe-se que o ovo da pata é muito mais nutritivo e tem maiores propriedades que o da galinha, porém, a pata não se comunica. A galinha, por sua vez, cacareja, o que faz com que seu ovo seja mais conhecido e consumido.

Créditos: Felipe Rosa 

Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa 

Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa 

Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa  Créditos: Felipe Rosa