Homenagem ao Barão do Serro Azul, fundador da ACP

A Associação Comercial do Paraná  promoveu hoje (20) uma solenidade em memória aos 117 anos do falecimento de Ildefonso Pereira Correia, o Barão do Serro Azul, seu fundador.  “Assassinado em 20 de maio de 1894, ele nos deixou um exemplo de vida, digno de ser seguido e vivenciado por todos nós. Morreu porque amou e defendeu a sua cidade e seus cidadãos”, destacou o presidente da ACP, Edson José Ramon, em discurso proferido para dezenas de pessoas, entre vice-presidentes, funcionários e ex-presidentes da entidade, empresários e cônsules, além do bisneto do Barão, o empresário Fernando Fontana. O ato, que teve a participação da Banda da Polícia Militar do Paraná,  foi realizado na Praça do Batel, por volta das 11 horas.

Ramon afirmou que falar sobre o Barão do Serro Azul é fácil porque ele tem uma história muito rica além, do legado que deixou como “ grande empreendedor, industrial de mão cheia, afeito às inovações tecnológicas da época, primeiro e maior exportador de erva-mate do Brasil. Com ele iniciou-se o caminho da industrialização do Paraná”.

O local escolhido para prestar homenagem à memória do Barão, segundo o presidente da ACP, “foi a sede do seu engenho de mate Tibagy”.  Ao lembrar que ele foi um grande defensor do comércio e de tudo o que representava melhorias para a comunidade, Ramon afirmou que, “graças à iniciativa de nossa entidade, hoje o Barão, que foi injustamente considerado traidor,  é o único paranaense a pertencer ao rol dos heróis da Pátria”.

E por fim, enalteceu que a homenagem reuniu naquele local “aqueles que têm a responsabilidade de levar adiante o grande legado do Barão do Serro Azul, da ética, da moral, do empreendedorismo, da responsabilidade política e social, devem se orgulhar de dirigirem e participarem ativamente da condução da Associação Comercial do Paraná, que traz em seu DNA, em sua missão, a síntese de todas as virtudes deste grande e Ilustre paranaense e brasileiro”. E concluiu dizendo que, ao homenagear o Barão do Serro Azul, “homenageamos também a todos aqueles que, como ele, colocam  a causa pública acima dos interesses pessoais”.

Fernando Fontana,  empresário e bisneto de Ildefonso Pereira Correia,  acrescentou que a descendência do Barão transcende os laços de sangue, “por isso, todos somos descendentes dele, porque assumimos a missão de representá-lo dignamente”. E acrescentou que “por ser empresário, tinha responsabilidade com a cidade, com o estado e com o futuro. Talvez tenha sido essa a maior herança que nos legou e que o levou a ser reconhecido como Herói da Pátria”.

Por fim, Ramon e os ex-presidentes da ACP, Virgílio Moreira Filho e Ardisson Naim Akel, depositaram uma coroa de flores no busto do Barão do Serro Azul.

Créditos: Felipe Rosa