Instituição social fiscaliza gastos públicos

Setenta municípios brasileiros contam com a atividade e fazem economia

O Observatório Social do Brasil (OSB), sediado em Curitiba e presidido pelo empresário paranaense Ater Cristofoli, nasceu de uma experiência bem-sucedida em vários municípios do Paraná, nos quais um grupo de cidadãos representando entidades sociais organizadas, sem filiação partidária, passou a se reunir periodicamente para cobrar da administração pública, estrito rigor nos gastos realizados com o dinheiro dos contribuintes.

Cristofoli participou da última reunião do Conselho Político da Associação Comercial do Paraná (ACP), a fim de explanar as atividades desenvolvidas pelo Observatório Social, informando que 28 municípios paranaenses já contam com a atividade, número que se estende a 70 municípios de 11 estados.

O empresário solicitou o apoio da ACP na criação do Observatório Social de Curitiba, tendo em vista que a instituição é mantida pelas contribuições de entidades civis organizadas, clubes de serviço e outras organizações sociais. No próximo dia 2 de julho haverá reunião no Conselho Regional de Contabilidade (CRC), para a qual as entidades estão sendo convidadas a discutir a proposta.

Em municípios importantes do Paraná, como Londrina, Maringá e Campo Mourão, entre outros, o Observatório Social é reconhecido não apenas pela população, mas pela própria administração pública, “tendo em vista a objetividade da fiscalização, incluídas as mesas de pregão para a aquisição de material escolar, medicamentos e equipamentos para serviços de saúde, por exemplo, propiciando em alguns casos a economia de até 50%”, disse.