Lojas realizam megaoperações de vendas

Fonte: Parana On Line (07/01/2011)

Descontos de até 70% em milhares de produtos e peças de mostruários. Isso sintetiza as megaoperações de venda que as redes varejistas – Magazine Luiza, Casas Bahia, Ponto Frio, Lojas MM, Colombo e Muffato -concentram hoje, com direito à abertura antecipada (6h ou 7h), dependendo da loja.

Essa prática comercial está tão consolidada que algumas redes ampliaram para mais de um dia a queima de estoque e, até mesmo nos sites, estão replicando as liquidações.

E é exatamente por representar tantas vantagens para quem vende, que a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa ao Consumidor (Procon-PR) recomenda cautela aos consumidores mais afoitos.

“Há vários estudos de marketing por trás dessas estratégias e os organizadores sabem que muita gente se entusiasma com a publicidade a ponto de, muitas vezes, nem ponderar se o preço de fato está muito mais barato”, alerta a advogada do Procon-PR, Claudia Silvano.

É importante observar que mesmo nas aquisições envolvendo peças de mostruários, o consumidor deve exigir nota fiscal com a discriminação de eventuais defeitos.

“Se um aparelho de som estiver com um risco do lado direto, por exemplo. Caso o consumidor observar depois da compra um risco no lado esquerdo, ele tem o direito de exigir um aparelho conforme o que é descrito na nota fiscal. Aliás, assim como os produtos vendidos no restante do ano, os itens comercializados em saldões devem cumprir as mesmas exigências de qualidade, durabilidade e funcionamento”.

Para casar

Como ocorre em todo ano, não é raro encontrar pessoas que chegam um dia antes para assegurar a compra dos produtos tão sonhados. Soma-se a isso, a vontade de mobiliar a casa para, finalmente, poder casar.

Isso motivou o casal de vendedores Jáibora Carvalho e João Vitor Ducci a se instalar em frente à Magazine Luiza, às 14h de ontem. “Os meus cunhados também vão ajudar no revezamento desta madrugada. Nossa meta é comprar com R$ 2 mil um fogão, uma geladeira e uma máquina de lavar”, revelou Jáibora.

Já o contador Enio da Mota, que chegou ao meio-dia de ontem, quer ajudar o filho de 23 anos a mobiliar a casa. “Como ele está trabalhando, farei isso por ele. Meu filho economizou R$ 3 mil e pretende comprar o que der, de refrigerador a televisão”, comentou.

A zeladora Rosa da Silva, por sua vez, foi para a fila porque o filho garantiu que irá dar o dinheiro para a compra de uma televisão nova. “Ele está trabalhando e, se conseguir comprar a TV que eu quero pelo site, vai me avisar por telefone para eu deixar a fila”, disse Rosa, que iniciou a maratona de espera às 14h de ontem e veio equipada com livro, blusa, almofada, lanchinhos e bebidas.

Com outro tipo de interesse, o catador de materiais recicláveis Luiz da Silva também ficou a postos, desde ontem, na Avenida Marechal Deodoro, no centro de Curitiba, onde várias lojas farão saldões. “Só o papelão que recolhi na véspera vai me render uns R$ 65. Até amanhã meu lucro vai aumentar muito”, celebrou.