Os 117 anos da morte do Barão do Serro Azul

Barão do Serro Azul. Herói na história e no coração do povo do Paraná. Esse é o título do Informe Publicitário, publicado nesta sexta-feira (20/05), no jornal Gazeta do Povo, página 5, assinado pela Associação Comercial do Paraná (ACP) e Gazeta do Povo.

O texto ressalta o papel do Barão tanto na vida política quanto econômica do estado. Ildefonso Pereira Correia foi o maior exportador de erva-mate do mundo na segunda metade do século XIX e recebeu o título de Barão do Serro Azul da Princesa Isabel em 1888.

“O Barão fundou a ACP, foi diretor da Sociedade Protetora de Ensino, lançou as bases do Banco Industrial e Mercantil, foi homem da política e da imprensa. Abolicionista convicto praticava responsabilidade social quando nem se pensava nisso”, afirma o informe.

Visto como traidor pelo governo do Marechal Floriano Peixoto por intervir junto aos rebeldes, foi injustamente preso e assassinado no dia 20 de maio de 1894 com outros empresários da Serra do Mar, entre Curitiba e Paranaguá.  Em 2008, teve seu nome inscrito no Livro dos Heróis Brasileiros, localizado no Panteão da Pátria, em Brasília. É o grande herói nacional do Paraná.