População não sabe quanto paga de tributos

Maioria dos comerciantes considerou importante a obrigatoriedade prevista em lei 

A maioria absoluta dos comerciantes curitibanos (87,5%) está ciente das exigências da legislação sobre a discriminação dos tributos em nota fiscal relativa à venda de mercadorias ao consumidor. Contudo, 93,5% dos consumidores ainda não perceberam a discriminação de impostos em nota fiscal, cuja obrigatoriedade teve início no dia 1º de julho, e 92,5% não têm ideia do valor da incidência de tributos sobre as mercadorias.

Os percentuais foram obtidos em pesquisa realizada pelo Instituto Datacenso, sob encomenda da Associação Comercial do Paraná (ACP), com 200 comerciantes e 200 consumidores, nos dois primeiros dias desse mês.

A pesquisa coordenada pelo economista Cláudio Shimoyama, diretor do Instituto Datacenso, também indicou que 90,5% dos comerciantes apoiam a medida, argumentando que essa é a forma direta do consumidor saber a quantia média paga em impostos na compra dos produtos básicos. Para 57,5% dos empresários a conscientização do consumidor é importante, e muito importante para 30,5%, totalizando 88%. Apenas 5% são indiferentes à medida, que foi considerada pouco importante por 2,5% e sem importância por 4,5%.

Por outro lado, a pesquisa Datacenso mostrou o inverso em relação ao consumidor, apurando que 79,5% deles não têm conhecimento da lei que obriga a discriminação do imposto em nota fiscal. O dado mais crítico da investigação é que 92,5% dos consumidores curitibanos não têm conhecimento de quanto está pagando ao fazer compras na rede comercial.

Também é exponencial o número de consumidores (93,5%), que sequer percebeu que grande número de estabelecimentos começou a fornecer notas fiscais com a discriminação da média de tributos, a partir do dia 1º de julho. Mais de 80% dos consumidores, entretanto, consideram importante ou muito importante saber o quanto estão pagando de impostos.