Queda de 1,7% nas vendas de setembro não desanima comerciante curitibano

Segundo pesquisa encomenda pela ACP, setor estima crescimento de 10,7% em outubro

O desempenho das vendas do comércio curitibano no mês de setembro apresentou queda de 1,7% em comparação com agosto. Os dados foram apurados pelo Instituto Datacenso, em pesquisa patrocinada pela Associação Comercial do Paraná (ACP). As entrevistas foram realizadas durante os dias 4 e 5 de agosto com 200 comerciantes e 200 consumidores da capital. Na comparação com setembro de 2011, o aumento foi discreto, com alta de 0,05%.

Apesar do saldo negativo, os lojistas estão otimistas com as vendas de outubro. A estimativa prevê um aumento de 10,7%, motivado principalmente pelo Dia das Crianças e das novas coleções de vestuário. Os índices que medem o entusiasmo do lojista a curto e médio prazo repetiram os números de agosto e seguem estáveis.

De acordo com o economista Claudio Shimoyama, a queda em setembro foi natural, pois o mês concentrou apenas 19 dias úteis (quatro a menos que agosto). Shimoyama lembra que 86% dos estabelecimentos mantiveram o mesmo número de funcionários e que a inadimplência dos consumidores apresentou leve queda, passando de 9% para 7,3%.

Os dados apresentados pelo economista se refletem no Índice de Situação Presente do Consumidor Curitibano (ISPCC), que obteve aumento de 20 pontos em setembro, passando de 101 para 121, em uma escala que vai de 0 a 200. A análise comprova otimismo a curto prazo e mostrando uma possível contenção de gastos em setembro para retomada dos compras típicas do fim de ano.

Os itens mais citados pelos consumidores curitibanos nas compras não habituais
no último mês foram roupas e acessórios (com 37%), Calçados (20%), Eletroeletrônicos (14%) e Celular/Smartphones (8%). O gasto médio com as compras ficou em R$ 515,82.