Richa anuncia, na ACP, ramal ferroviário entre MS e Cascavel

No final deste mês, o governador do Mato Grosso do Sul, André Pucinnelli (PMDB), deve vir ao Paraná para discutir com o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), detalhes da implantação do ramal ferroviário que ligará aquele Estado ao porto de Paranaguá.

“O ramal sairá de Maracaju, passará por Dourados, no Mato Grosso do Sul, e chegará a Cascavel, no Oeste paranaense, de onde se ligará até o porto de Paranaguá”, disse Richa. “O governador Pucinnelli me disse que quer escoar toda a produção de grãos de seu Estado pelo nosso porto”, declarou.

A informação foi dada nesta quarta-feira (19/1) pelo governador Beto Richa durante almoço na sede da Associação Comercial do Paraná (ACP), onde foi recepcionado pelo presidente da entidade, Edson Ramon, conselheiros, diretores e ex-presidentes.

Participaram do almoço o secretário de Indústria e Comércio do Estado, Ricardo Barros, o secretário-chefe da Casa Civil, Durval do Amaral, além de o presidente da Sanepar, Fernando Ghignone.

Em seu discurso, Ramon frisou que “este é o primeiro encontro dos muitos que certamente efetuaremos ao longo do governo Richa. Inúmeras serão as reuniões em que debateremos e expressaremos nossos pensamentos e entendimentos, e que serão levados ao governador e aos seus secretários”.

E acrescentou: “pretendemos estabelecer parcerias entre o governo estadual e a ACP. Estamos prontos a colaborar. Estaremos sempre atentos aos rumos dados a este governo e prontos a dar irrestrita colaboração a tudo que considerarmos de absoluta valia para o desenvolvimento socioeconômico e cultural do nosso Estado”, ressaltou.

Ao discursar, o vice-presidente da ACP e coordenador do seu Conselho Político, Marco Antonio Peixoto, comentou a respeito de obras de infraestrutura que o Estado necessita, ressaltando pontualmente os portos, aeroportos, rodovias e o saneamento no litoral, além das ações para melhorar a segurança pública.

“Gostaríamos ainda de saber como deve ser a postura do governo sobre as Parcerias Público Privadas (PPPs) para a melhoria da infraestrutura do Estado”.

Richa afirmou que essas parcerias serão muito bem-vindas, mas sempre tendo em vista a prioridade do bem público.

A respeito das obras que seriam necessárias, o governador citou a necessidade de investimentos em infraestrutura e logística.

Entre outras, enumerou a modernização do porto de Paranaguá, inclusive com a implantação de berços para o embarque e desembarque de passageiros, a ampliação da capacidade de operações com passageiros e de cargas dos aeroportos paranaenses, a retomada das obras de melhoria das estradas etc.

Richa frisou também que a segurança é a grande prioridade de sua administração.

“Implantaremos uma política de segurança pública, com o aparelhamento deste setor, com a contratação de mais homens etc.”

Mas, ressaltou que, antes de tudo, se faz necessária a organização da casa.

“Recebemos um Estado com sérios problemas e estamos com nossa capacidade de investimento bastante comprometida. A situação é precária. Mas, com respeito aos contratos, com segurança jurídica e com muita vontade, vamos recuperar o Paraná”.