Senador Sérgio Souza é homenageado pela ACP

Grande número de convidados prestigiou a entrega da Cidadania ACP ao senador paranaense

Proclamando-se “soldado do Paraná em Brasília”, o senador Sérgio Souza (PMDB) é o mais novo detentor do título Cidadania ACP, a ele conferido pelos Conselhos Político e Tributação e Finanças da Associação Comercial do Paraná, em almoço que lhe foi oferecido nessa segunda-feira (15).

O evento contou com a participação do presidente da entidade, Edson José Ramon, além do ex-governador Orlando Pessuti, vereador Bruno Pessuti, Ardisson Ackel, presidente da Junta Comercial do Paraná (Jucepar), José Lúcio Glomb, conselheiro da OAB federal, Juliano Breda, presidente da OAB-PR, Antonio Bocheneke, presidente da Associação Paranaense de Juízes Federais (Apajufe), Jonel Chede, presidente do Movimento Pró-Paraná, Hélio Bampi, vice-presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Celso Gusso, presidente da Associação de Empresas da Cidade Industrial de Curitiba (Aecic), Gastão Sherer Neto, diretor da Associação dos Delegados Federais do Paraná, vices-presidentes e conselheiros da ACP, representantes da sociedade consular e demais convidados.

O senador foi saudado pelo presidente Edson José Ramon, pelo coordenador do Conselho Político, Gláucio José Geara, e o coordenador do Conselho de Tributação e Finanças, Airton Hack, que enalteceram a atuação do parlamentar hoje reconhecida dentre as mais eficientes do Congresso, obtendo o terceiro lugar num ranking realizado pela revista Veja.

Geara lembrou especificamente a atuação do senador Sérgio Souza na aprovação da PEC 544/02, autorizando a implantação do Tribunal Regional Federal da 6ª Região, com sede em Curitiba, reiterando ser esse “o resultado vitorioso do esforço de duas décadas da ACP e muitas outras instituições estaduais, aliás, bem compreendido por nosso homenageado”.

Soldado do Paraná

O senador encerrou seu discurso proclamando-se “soldado do Paraná em Brasília”, mas antes fez um sumário dos lances que o levaram a ocupar uma cadeira no Senado da República, “assumindo a vaga da senadora Gleisi Hoffmann, convocada pela presidente Dilma Rousseff para a chefia da Casa Civil”.

Egresso da zona rural paranaense, como salientou, militante político desde os tempos estudantis, mais tarde assessor parlamentar do deputado Orlando Pessuti e no gabinete do então governador, ao chegar ao Senado Sérgio já havia decidido que seu mandato seria dedicado à defesa das principais bandeiras paranaenses, a saber, agronegócio e desenvolvimento econômico, bem assim as ideias debatidas pelo Pró-Paraná e Futuro 10 Paraná, entre outras.

Com relação à aprovação da proposta de criação do TRF-PR, o senador afirmou que “apesar das vozes que se levantam contra a iniciativa, argumentando que a implantação da unidade vai aumentar os gastos públicos, na discussão em plenário apresentamos estudos econômico-financeiros feitos por entidades respeitáveis no âmbito da Justiça, mostrando que ao contrário haverá economia real com o funcionamento do tribunal regional paranaense”.

  

Sérgio lembrou também a preocupação com temas de abrangência nacional como o Custo Brasil, especialmente com as volumosas perdas verificadas no setor portuário e nos demais modais de transporte.

Contudo, ressaltou sua confiança no progresso do País, atualmente a “sexta maior economia do planeta, com o salário mínimo equivalente da US$ 300 e, em breve o primeiro produtor e exportador mundial de alimentos, sendo que há poucos anos nos debatíamos com uma inflação de três dígitos”.