Três em cada dez consumidores têm os salários comprometidos com dívidas

A inadimplência é atualmente fenômeno que afeta consumidores curitibanos entre 21 e 60 anos de idade, com pouca variação entre sexos e renda média familiar mensal de um a quatro salários mínimos (R$ 2.488). A conclusão é da Área de Serviços da Associação Comercial do Paraná (ACP) que entre março e julho atendeu 96.487 consultas sobre restrição de crédito. Desse total foram entrevistados 4.109 consumidores (média mensal de 820), caracterizados pela situação de inadimplência.

O Instituto Datacenso, na pesquisa feita para a ACP sobre expectativa de vendas motivadas pelo Dia dos Pais, indicou que de cada grupo de dez consumidores curitibanos três estão com o salário inteiramente comprometido por dívidas.

De acordo com a amostragem realizada pela ACP, a causa principal da inadimplência é o descontrole de gastos especialmente por parte dos consumidores mais jovens, que algum tempo depois acabam contaminando pais e avós pelo empréstimo do nome para a realização de novas compras. O desemprego e a perda de documentos, mesmo em percentuais menores, também são citados entre os fatores usados pelo consumidor em atraso com seus compromissos financeiros.

Cartão de crédito

A pesquisa inicial feita em março indicou que o financiamento de automóveis ocupava o primeiro lugar nas causas da inadimplência, com 40% das indicações, seguidas de perto por cheques devolvidos e cartões de loja. O cartão de crédito sempre apresentou reduzido percentual de inadimplência, tendo em vista que nem todos os consumidores da faixa de renda predominante entre devedores têm acesso ao chamado dinheiro de plástico.

Já o cartão de loja tem sua aquisição facilitada pelo próprio estabelecimento que não impõe maiores restrições, permitindo que o consumidor possua mais de um cartão e, dessa forma, faça compras em outra loja quando o limite concedido pelo concorrente esteja ultrapassado, contribuindo para o crescimento da inadimplência.

Um dado positivo detectado pela pesquisa da ACP sobre o perfil do inadimplente é que 60% pretendem quitar os débitos utilizando parte do próprio salário ou cortando gastos. Mas, a minoria admite que pagamento somente com o recebimento do 13º salário e férias.
No mês de julho consumidores do sexo feminino (59,4%) assumiram a ponta da inadimplência em Curitiba, aparecendo os carnês (31,1%), cheques (29%) e cartões de lojas (24%) como formas preferidas das compras que acabaram ficando sem o pagamento. A maior parte dos credores (60%) não demonstrou interesse em renegociar os débitos de seus clientes que, em contrapartida (58%) não pretendem fazer compras nos próximos meses.