ACP instala Conselho de Assuntos Culturais

Na solenidade de posse da coordenadora Bernadete Zagonel, do recém-criado Conselho de Assuntos Culturais – ACP Cultural, dos vice-coordenadores Fábio André Chedid Silvestre e Luiz Gustavo Vidal Pinto e dos 20 conselheiros que representam os vários segmentos do setor cultural, o presidente Antonio Miguel Espolador fez uma saudação especial à coordenadora “e a todos quantos aceitaram o convite para integrar o conselho”, reiterando que no rol de conselheiros “se destacam importantes personalidades com relevantes aportes ao patrimônio cultural paranaense e nacional”.

O Conselho de Assuntos Culturais tem a finalidade exclusiva de formular estudos e sugestões com vistas à organização e execução de projetos de incentivo às manifestações individuais ou de grupos, nos diversos campos da cultura.

“A providência que hoje se concretiza se propõe a valorizar a cultura curitibana e preservar a história de um povo e de uma cidade modelo para o Brasil”, assinalou Espolador, sublinhando a experiência de Bernadete nesse campo.

Exemplo prático da preocupação do novo conselho é o projeto Corredor Cultural, voltado para a realização de eventos culturais na área central de Curitiba, no qual estão envolvidos além da ACP, UFPR, Centro de Estudos Bandeirantes, Federação do Comércio do Paraná e Caixa Cultural Curitiba.

Segundo o presidente da ACP, o projeto tem a finalidade de articular as ações de cada entidade participante, visando promover “o fortalecimento da diversidade cultural, da cidadania e da própria economia local”.

A coordenadora Bernadete Zagonel comentou que a atividade cultural representa 7% do Produto Interno Bruto mundial e 6% no Brasil, onde garante o emprego de 3,7 milhões de pessoas. “Este dado justifica o interesse da ACP na instalação de um conselho específico para o setor de cultura, dada a importância de incentivar as diversas manifestações como a literatura, fotografia, teatro, cinema, música, artes visuais e muitas outras”.

Falando sobre o “significado antropológico das manifestações culturais para a sociedade e a melhoria da qualidade de vida das pessoas”, Bernadete lembrou a necessidade de dinamizar o setor, enfatizando que no país somente 21% das cidades têm salas de teatro e 9% possuem salas de cinema”.

Participaram do evento, dentre os demais convidados, a vereadora Julieta Reis, que enfatizou a necessidade da preservação do Natal de Luz e as obras de restauro do Solar do Barão, uma edificação histórica da cidade, para “as quais cada vereador deverá destinar R$ 10 mil em emendas, os vice-presidentes Gláucio José Geara e Odone Fortes Martins.