Autoridades debatem segurança com conselheiros da ACP

Comandante da PM afirma que dois mil novos policiais ingressam em serviço em setembro

 O secretário estadual da Segurança Pública, Cid Marcus Vasques, disse nessa quinta-feira (29), durante debate promovido pela Associação Comercial do Paraná (ACP), que tomará providências urgentes para que as delegacias da Polícia Civil “não só aceitem, mas passem a investigar as imagens de assaltos e delitos registradas por câmeras de segurança dos estabelecimentos comerciais”.  A questão foi levantada por um comerciante durante a seção de perguntas e respostas das autoridades.

O evento foi promovido pelos Conselhos de Câmaras Setoriais e do Comércio Vivo, coordenados respectivamente pelos vices-presidentes Camilo Turmina e Jean Michel Galiano, ficando a cargo do coronel Roberson Luiz Bondaruk, comandante geral da Polícia Militar, a conferência de abertura.

Convidado especial do evento, o secretário Cid Marcus Vasques teve um imprevisto pouco antes do início da programação, mas conseguiu chegar a tempo de participar da parte final do debate e responder várias perguntas.

O presidente da ACP, Edson José Ramon, agradeceu a presença do grande número de interessados “na ampliação e fortalecimento do diálogo dos empresários com os governantes, de modo especial nessa área crítica que é a segurança pública”.

“Lutar por um Paraná mais seguro em que o cidadão tenha resguardado o direito de ir e vir e possa vislumbrar um horizonte de segurança para a população, é uma das prioridades assumidas pela ACP”, disse.

O vice-presidente Camilo Turmina reafirmou a importância do diálogo permanente com as autoridades propondo, entretanto, não apenas uma ação mais firme do Estado, mas da própria sociedade exemplificando com a recente campanha contra as pichações: “A Guarda Municipal lavrou mais de 200 boletins de ocorrência, dos quais apenas um gerou uma ação civil na Justiça”.

Coração da cidade

O coronel Roberson Luiz Bondaruk, ao iniciar sua exposição, revelou um dado realista da luta do aparato de segurança contra a criminalidade: “Hoje à tarde foi sepultado um sargento da PM, morto ontem em combate com marginais que haviam acabado de cometer um assalto”.

Bondaruk ratificou a preocupação da PM com a segurança da rede comercial, em sua avaliação “o coração da cidade”. Nesse sentido, anunciou o ingresso em serviço de mais dois mil policiais entre setembro e outubro, na capital e interior. O comandante lembrou também as unidades de pacificação em bairros com grande índice de criminalidade, que tiveram redução sensível.

O exemplo citado foi o da CIC que “permaneceu 38 dias sem a ocorrência de homicídios”, da mesma forma que as viaturas policiais estacionadas em pontos estratégicos contribuíram para a redução de 17% no número de ocorrências verificadas nas adjacências.

Soldados do tráfico

O grande problema da segurança continua sendo o narcotráfico, tendo em vista a proximidade do Brasil com o Paraguai e Bolívia, que são grandes produtores de maconha e cocaína. “A PM do Paraná apreende uma tonelada de drogas por semana e essa quantidade é, às vezes, maior que a apreendida no resto do País”, informou.

A questão se agrava porque o tráfico recruta seus “soldados” entre os desempregados das comunidades carentes, “ou acaba estimulando-os a praticar furtos e roubos para adquirir o entorpecente”. Muitos desses jovens “são assassinados porque as dívidas contraídas com os traficantes são pagas com dinheiro ou com sangue”, advertiu o comandante da PM.

Nesse contexto, Bondaruk lembrou a experiência bem-sucedida que alguns empresários de Maringá realizaram numa das favelas da cidade, “contribuindo efetivamente para diminuir a fila de candidatos a empregos na atividade criminosa”.                                                                                                                                                                                            

Participaram do evento, além dos vices-presidentes José Eduardo Sarmento, Gláucio Geara e Airton Hack, empresários, associados e conselheiros da entidade promotora, oficiais da PM e Corpo de Bombeiros, delegados da Polícia Civil e Polícia Federal, presidentes de Associações de Bairro, o vereador Chico do Uberaba e o diretor-geral da Guarda Municipal Frederico de Carvalho.