ACP | Associação Comercial do Paraná

Entidades paranaenses manifestam-se contra medidas fiscais

Representantes de 17 entidades de classe do setor produtivo, prestação de serviços e instituições de classe e dos trabalhadores foram recebidos nesta quarta-feira (17), pelo 1º secretário da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), deputado Plauto Miró Guimarães Filho e pelo deputado estadual Felipe Francischini.

Na oportunidade foi entregue à Alep o manifesto aos governantes, sobre a preocupação com as medidas fiscais anunciadas pelos governos Federal e Estadual. Além disso, os representantes solicitam que seja agendada audiência pública para análise da elevação do Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD).
De acordo com o documento, as entidades de classe, trabalhadores e a população estão sendo sacrificados com o aumento da carga tributária, sem a necessária redução dos gastos públicos.

Segundo o presidente do Sistema Fiep, Edson Campagnolo, o documento demonstra o descontentamento das entidades com os tributos impostos aos setores produtivos e à população. Campagnolo destacou posição contrária frente à elevação do ITCMD. “Novamente estamos sendo surpreendidos por um regime de urgência pelo governo estadual. Uma medida como esta não vem prejudicar apenas o setor produtivo, penaliza toda a atividade econômica do Paraná, especialmente os trabalhadores. O desemprego no estado chega a quase 7% e se continuarmos com esta sede arrecadatória este número será ainda maior”, declarou Campagnolo.

Para o presidente da OAB-PR, Juliano Breda, a ineficiência do poder público e os equívocos administrativos não podem mais onerar a população paranaense e brasileira. “Exigimos um debate aprofundado e transparência a respeito das condições econômicas e financeiras do nosso estado. O Paraná teve um aumento gigantesco em sua arrecadação neste ano em relação aos anos anteriores, isso fruto do pacote fiscal apresentado no início do ano que majorou, especialmente, o ICMS e o IPVA”, lembra Breda.

O deputado estadual e 1º secretário da Alep, Plauto Miró Guimarães Filho, recebeu o manifestou e mostrou-se favorável à manifestação. “Os representantes trazem a esta casa suas preocupações e a negativa frente ao aumento dos impostos, não apenas no Paraná, mas também no Brasil. Não há necessidade de criação ou elevação de impostos. Em 2014 já fizemos uma ação que penalizou uma grande parcela da população, e agora estamos claramente contrários a este projeto de lei que tramita na Assembleia”, salientou o deputado, fazendo menção ao PL 662/2015.

São signatários do documento a OAB-PR; Fecomércio PR; Faep; Fiep; Faciap; Fetranspar; Sistema Ocepar; Associação Comercial do Paraná (ACP); Sescap PR; Creci-PR; CRC-PR; Movimento Pró-Paraná; Instituto dos Advogados do Paraná. Instituto Democracia e Liberdade, União Geral dos Trabalhadores e Fetiep

Com informações da Fecomércio