ACP | Associação Comercial do Paraná

Entidades se reúnem para debater Corredor Cultural

Iniciativa da UFPR, projeto terá estudos para dinamização e expansão

O presidente Antonio Miguel Espolador Neto, da Associação Comercial do Paraná (ACP) e a coordenadora do Conselho de Assuntos Culturais – ACP Cultural, Bernadete Zagonel, receberam os convidados para o café da manhã nessa terça-feira (17), na sede da entidade, visando o lançamento da revisão do projeto do Corredor Cultural de Curitiba.

O projeto tenciona coordenar a atuação das instituições parceiras no aproveitamento das opções culturais do perímetro compreendido pela Reitoria da UFPR e o Paço da Liberdade, hoje mantido pela Fecomércio por intermédio do Sesc.

O encontro foi prestigiado pelo o vice-presidente Gláucio José Geara, da ACP; Darci Piana, presidente da Fecomércio; Rogério Andrade Mulinari, vice-reitor da UFPR; Katia Biezek, da PUC-PR; Reginaldo Cordeiro, secretário municipal de Urbanismo; Sérgio Pires, presidente do IPPUC; Marcos Cordiolli, presidente da Fundação Cultural de Curitiba (FCC); Isabel Cristina Nascimento, gerente da Caixa Cultural; Áldice Lopes, da Fundação Teatro Guaíra; Luciana Pedroso, da OAB-PR e a professora Maria Comninos, do Círculo de Estudos Bandeirantes, entre outros convidados.

Na ocasião, o Movimento Pró-Paraná, representado pelo presidente Marcos Domakoski que assinou o termo de adesão, passou a integrar oficialmente o projeto do Corredor Cultural, justificando o ato pelo interesse especial da instituição idealizada pelo jornalista Francisco Cunha Pereira Filho no desenvolvimento cultural da comunidade curitibana.

Ações planejadas

Espolador destacou a importância do evento e do projeto propriamente dito, comentando que as ações planejadas por entidades públicas e privadas para incentivar a prática de atividades culturais e artísticas na área central da cidade, “darão nova vida ao centro, atraindo não só os moradores, mas incrementando também a própria economia local”.

Contudo, chamou a atenção dos poderes constituídos para a “extrema necessidade de intensificar os serviços de policiamento na área central, principalmente à noite, tendo em vista a insegurança das pessoas em se deslocarem de suas casas para circular nessa parte da cidade”.

O presidente da Fecomércio, Darci Piana, reforçou o alerta especificando a necessidade de tratamento especial também para o Alto de São Francisco, que aos poucos está se transformando em novo centro gastronômico de Curitiba, também com muitos pontos histórico-culturais como as igrejas e construções antigas.

Referências arquitetônicas

A coordenadora do Conselho de Assuntos Culturais – ACP Cultural, Bernadete Zagonel, expôs as linhas gerais do projeto do Corredor Cultural, enfatizando o perímetro compreendido entre a Reitoria da UFPR e o Paço da Liberdade, uma das referências arquitetônicas do centro, lembrando o Museu Guido Viaro, Teatro Guaíra, Capela do Colégio Santa Maria, prédio histórico da UFPR e outros edifícios tombados pelo Patrimônio Histórico e Cultural. Citou também que o projeto “poderá ser expandido para o aproveitamento das demais opções culturais do centro e até das regiões adjacentes”.

O vice-reitor Rogério Mulinari, da UFPR, onde surgiu a ideia do Corredor Cultural à época das obras de restauração do prédio histórico da Universidade; Sérgio Pires, presidente do IPPUC; Marcos Cordiolli, presidentes da Fundação Cultural de Curitiba e o secretário Reginaldo Cordeiro, que representou o prefeito municipal Gustavo Fruet, também fizeram comentários resumindo a atuação das referidas instituições no âmbito do projeto.