Feriados na Copa são discutidos em audiência pública

Representantes da ACP defenderam posicionamento contrário durante a reunião na Câmara

A Associação Comercial do Paraná, na condição de representante das micro, pequenas , médias e grandes empresas do Estado do Paraná, nas áreas de comércio e prestação de serviços, manifestou-se perante a audiência pública na Câmara Municipal, nesta segunda (24), apresentando razões para que não sejam decretados como feriados os dias de jogos da Copa de 2014 a ser realizados na capital em junho. O

Durante a audiência, representantes de 50 instituições puderam participar e manifestar-se sobre a proposta de adoção de feriados nos dias 16, 20, 23 e 26 de junho. Diante das explanações, a Comissão Especial da Copa na Câmara, presidida pelo vereador Paulo Rink (PPS), deciciu encaminhar à prefeitura pedido para que nestes dias haja ponto facultativo nos órgãos públicos.

De acordo com o presidente em exercício da ACP, José Eduardo Sarmento, “o ponto facultativo traria alguma tranquilidade em relação ao trânsito, por isto seria uma boa medida a ser adotada”, diferente do que ocorreria com o total fechamento do comércio nos dias de jogos na Arena. “Isto acarretaria um prejuízo de R$ 150 milhões/ dia para empresas que, apesar da perda, continuariam tendo de suprir despesas. Em termos de impostos, seria um grande agravo para a cidade e também ao Estado. Isto deporia contra um dos objetivos da vinda do Mundial, que era o de trazer turistas para movimentar a economia”, declarou Sarmento.

Em defesa de seus associados e também da comunidade, o vice-presidente da entidade, Gláucio José Geara, apresentou justificativas que ratificam a posição da ACP frontalmente contrária a instituição dos feriados.

“Há datas de jogos do Brasil já decretadas como feriados nacionais, por isso não existem motivos plausíveis para que seja feriado em outros dias de jogos do Mundial. A maioria dos que têm se manifestado favoráveis a tal provimento almejam principalmente folga ao trabalho”, defendeu Geara.

Outra preocupação da entidade seria o grande número de dias inativos no mês de junho, somando os dias de jogos em Curitiba aos de partidas do Brasil, para os quais já foram instituídos feriados nacionais. “Isto geraria nada menos que somente seis dias úteis desde o dia de abertura da Copa, no dia 12 de junho, até o final do mês. Portanto, em um período de 19 dias, somente seis dias úteis. Na semana entre o dia 15 e 22, ocorrerá apenas um dia útil de trabalho, o dia 18, quarta-feira, ou seja, uma semana inteira praticamente ociosa”, explicou o vice-presidente.

De acordo com informações fornecidas pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), em reunião na ACP, os prejuízos diários com o fechamento das indústrias somam mais de R$ 340 milhões. Também há que se considerar o prejuízo financeiro e operacional que o fechamento dos bancos causará a todos os setores.

A Associação Comercial do Paraná tem dado destaque também quanto aos riscos recessivos no caso dos feriados, pois há inquestionável carência de recursos para o enfrentamento das inúmeras necessidades sociais, tanto de infraestrutura, como sobremaneira nas áreas da saúde e educação.