ACP | Associação Comercial do Paraná

Festa Junina tributada: até 61,56% dos preços dos produtos podem ser impostos, alerta ACSP

De acordo com presidente da ACSP e da Facesp, contribuinte já não aguenta mais pagar tantos impostos

Fonte: Associação Comercial de São Paulo

As festas juninas que serão organizadas neste ano vão pesar no bolso do consumidor. Os preços dos produtos comumente associados à data festiva são altamente impactados pelos impostos. Quem faz o alerta é a Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

O tradicional quentão e os fogos de artifício lideram a lista. Esses dois itens são os mais tributados entre os avaliados pelo levantamento divulgado pela ACSP: 61,56% do preço final desses produtos são impostos.

E não para por aí. Para quem gosta de tomar um vinho quente para comemorar as festividades de São João, o sabor vai ser de ressaca. Mais da metade do preço da bebida (54,73%) é puramente tributação.

E se beber sem pagar caro não será fácil, montar uma mesa apetitosa e com quitutes de qualidade também será um problema. Os preços do amendoim, da canjica e da pipoca, por exemplo, são compostos em mais de um terço por impostos – 36,54%, 35,38% e 34,99%, respectivamente. O pinhão, por sua vez, é tributado em 24,07% – tendo sido o menos taxado entre os itens da pesquisa.

Para Alencar Burti, presidente da ACSP e da Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo), a carga tributária no Brasil já passou do limite. “Não podemos mais continuar com essa política de elevação de impostos, taxas e contribuições. Tanto consumidor quanto empresariado já não aguentam mais esses constantes aumentos. O custo da produção está aumentando, o poder de compra está diminuindo e a atividade econômica, retraindo”, adverte.

Acessórios

O levantamento da Associação Comercial de São Paulo, encomendado ao Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), também avaliou a carga tributária de acessórios tipicamente usados nas festas juninas. O chapéu de palha, tradicional símbolo dessa época festiva, é tributado em 33,95%. Já o preço da camisa é composto em 34,67% de impostos.

Impostômetro

Desde 2005, a ACSP mantém o painel do Impostômetro, na rua Boa Vista, centro de capital paulista, para chamar a atenção dos consumidores para o montante que eles pagam em tributos para a União, os Estados e os municípios.