ACP | Associação Comercial do Paraná

Menores assistidos por entidades beneficentes recebem presentes da ACP

A Associação Promocional da Adolescente (APA) e o Centro Social Esperançareceberam quarta (18) e quinta-feira (19), presentes de Natal da Árvore Solidária da Associação Comercial do Paraná (ACP). A equipe da ACP composta por funcionários e voluntários e liderada pela vice-presidente e coordenadora do Conselho da Mulher Executiva (CME), Edda Deiss de Mello e Silva, fez a entrega dos presentes nos respectivos locais.

A APA abriga 16 meninas entre 11 e 18 anos que encontram-se desassistidas pelos pais. As meninas realizaram uma série de apresentações com jogral e coral, na recepção à vice-presidente da ACP e acompanhantes. As garotas receberam ansiosas os presentes, cujas cartinhas foram apadrinhadas por voluntários que as selecionaram na árvore instalada na sede da ACP. Este é o primeiro ano em que a entidade de classe do ramo empresarial ajuda esta instituição, escolhida “porque nesta época do ano muitos lembram das crianças, mas poucos enxergam que há muitos adolescentes necessitando de cuidados também”, disse a vice-coordenadora do CME, Oracy Munhoz da Rocha Lacerda. A APA tem 39 anos de existência e conta com recursos da prefeitura para se manter.

À frente da instituição até hoje, a fundadora da casa, Irmã Diva Barrichello, recebe as adolescentes como uma mãe que se divide entre enérgica e carinhosa. ”As meninas são responsáveis pela limpeza e organização da sede, e a única profissional contratada para auxiliar nas tarefas é uma cozinheira”, explicou. Fazem parte do apoio à instituição também  uma psicóloga, uma pedagoga e uma assistente social.

Vulnerabilidade

Há mais de uma década o Centro Social Esperança, localizado no bairro do Pinheirinho, atende crianças com idade entre um e cinco anos, que moram na região em estado de vulnerabilidade social. Segundo a presidente da entidade, Maria Suzana Branco, a casa desenvolve atividades pedagógicas, brincadeiras e jogos em período integral durante a semana com a participação de 13 funcionários entre professores, auxiliares e atendentes para 160 crianças.

Suzana disse que a entidade conta com a ajuda de doações e com o apoio da Fundação de Ação Social de Curitiba (FAS) e do Instituto Pró-Cidadania de Curitiba (IPCC) e que o imóvel onde funciona o Centro foi cedido pela família dela. “Ainda bem que convenci meu marido a ceder a casa para desenvolvermos este trabalho, pois é por meio dele que ao olhar para cada uma dessas crianças consigo ver um futuro melhor para elas”, relatou.

Por sua vez, Edda lembrou que a atividade beneficente é desenvolvida pelo Conselho da Mulher Executiva há mais de dez anos “sempre buscando a melhoria”, aproveitando a oportunidade para agradecer a todos os colaboradores.