Páscoa em Curitiba pode sofrer queda de 6% nas vendas

Metade dos curitibanos não deve comprar chocolates para presentear no feriado

A expectativa de vendas para a Páscoa 2015, de acordo com a pesquisa ACP/ Datacenso, realizada entre os dias 23 e 25 de março, poderá ser negativa em seis pontos percentuais com relação ao mesmo período do ano anterior. Entre os 200 comerciantes ouvidos, 45% calculam queda nas vendas, 36% esperam que as vendas fiquem equiparadas a 2014 e apenas 17% esperam vender mais.

De acordo com os empresários, a previsão negativa é explicada principalmente pela crise econômica do país, o que desencoraja os consumidores a gastar. O movimento de Páscoa vinha de um aumento: em 2014 houve um crescimento de 3% em relação a 2013 e agora sofrerá uma queda brusca.

Metade dos consumidores curitibanos que falaram à equipe do Datacenso não comprará chocolates para a Páscoa 2015. Ou seja, a cada dez curitibanos, cinco deixarão de comprar chocolates, confirmando que a situação econômica atual do país vem interferindo no comportamento do consumidor e contribuindo para a queda das vendas.

Para a parcela que optará por presentear com chocolates, a preferência continua sendo por ovos (88%), seguida de caixa de bombons (8%) e barras (4%). Grande parte dos 402 consumidores ouvidos pela sondagem revelou que pretende gastar R$ 110,00 com a compra de Páscoa, presenteando 4 pessoas, sendo R$ 28,00 por presente.

Para garantir os melhores preços, os consumidores que têm hábito de pesquisar visitarão as lojas (79%), consultarão tabloides de ofertas (57%). E costumam efetuar suas compras entre sete e quinze dias antes do dia da Páscoa (73%).

Mais da metade dos curitibanos que pretendem comprar ovos, preferem os de 200 a 240 gramas (54%), com brinquedo dentro (51%) e tradicionais (51%). Os sabores preferidos são os de chocolate puro (75%), seguido de crocante (21%) e branco (19%).

Segundo os comerciantes, as formas de pagamento que o consumidor vai utilizar nas compras de Páscoa serão à vista com cartão de crédito (47%), seguido de parcelado com cartão de crédito (27%). No ano passado, o valor médio gasto pelos consumidores na Páscoa foi de R$ 117,00.