Pedidos de falência acumulam alta de 36,0% no bimestre, segundo Boa Vista SCPC

Os pedidos de recuperação judicial e as recuperações judiciais deferidas, no acumulado do bimestre, também seguiram tendência de alta, registrando 216,0% e 181,5%, respectivamente

Os pedidos de falência registraram alta de 36,0% no acumulado do 1º bimestre de 2016 comparado ao período equivalente do ano anterior, segundo dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) divulgados pela Associação Comercial do Paraná (ACP). Em fevereiro, o número de pedidos de falências aumentou 30,5% na comparação mensal e 76,3% em comparação a fevereiro de 2015.
No acumulado do bimestre, as falências decretadas permaneceram estáveis em relação ao período anterior. Na comparação interanual recuaram 9,1% e subiram 30,4% ante o mês anterior.

Os pedidos de recuperação judicial e as recuperações judiciais deferidas, no acumulado do bimestre, também seguiram tendência de alta, registrando 216,0% e 181,5%, respectivamente. A tabela 1 resume os dados.

Os fatores que prejudicaram o desempenho das empresas ao longo de 2015, como a fraca atividade econômica, os elevados custos e a restrição ao crédito, ainda deverão ser observados em 2016. A pouca possibilidade de reversão da atual dinâmica econômica influencia os indicadores de solvência das empresas, conservando a tendência de alta para 2016.

Metodologia
O indicador de falências e recuperações judiciais é construído com base na apuração dos dados mensais registradas na base de dados da Boa Vista SCPC, oriundas dos fóruns, varas de falências e dos Diários Oficiais e da Justiça dos estados.
A série histórica deste indicador se inicia em 2006 e está disponível em:
http://www.boavistaservicos.com.br/economia/falencias-e-recuperacoes-judiciais/