Planejamento de gastos diminui risco de endividamento

Em período de crise financeira que exige cautela redobrada para a construção do orçamento doméstico, a inadimplência é a grande assombração para o consumidor. No início deste ano, segundo dados da Associação Comercial do Paraná (ACP) e Boa Vista Serviços, a recuperação de crédito está em baixa de 1,8% em relação ao mês anterior.

De acordo com a coordenadora do setor de Serviços da ACP, Simone Scuissato, as compras por impulso são as grandes vilãs do endividamento: “desde que assumi o Setor de Serviços – Atendimento ao Consumidor me deparei com várias situações, e o que venho observando é que as pessoas não planejam suas compras. Muitas vezes, elas não precisam adquirir determinado produto, mas há uma promoção de pagamento daqui a dois meses, por exemplo, ou está muito bem empregado e não pensa que amanhã ou depois pode haver uma demissão, entre outros motivos”, conta.

Para evitar uma possível negativação que venha a dificultar conquistas importantes futuramente, existe uma série de estratégias simples que, se seguidas à risca, podem garantir uma vida financeira longe de sustos:

1 – Planejar: Isso envolve colocar em um papel todos os gastos ao longo do mês para se preparar conforme o seu orçamento disponível. Separe as despesas fixas (aluguel, prestação de imóvel, carro), variáveis (contas de água, luz, cartão de crédito, supermercado) e as imprevistas (remédios, reformas, consertos), entre outras.

2 – Poupar: Quando se tem um dinheiro sobrando, a primeira coisa que vem à cabeça é “no que vou gastar esse mês?” Na verdade, o consumidor deveria fazer o contrário e aproveitar para guardar dinheiro, seja em uma poupança ou aplicação. “Afinal, todos têm sonhos e imprevistos podem acontecer. Por isso, ter uma reserva é sempre muito importante. Não importa qual seja o salário, o importante é reservar todo mês um determinado valor”, orienta Simone.

3 – Consumir com responsabilidade: Todos temos necessidade de ter o que calçar, o que vestir, mas não é necessário que o valor seja alto, ou de marca. Um dos maiores vilões da inadimplência, por exemplo, está nos aparelhos de celular, que a cada dia ficam mais evoluídos. Se naquele momento não há possibilidade de arcar com os custos de um aparelho de última geração, é recomendável comprar um mais simples. Com isso, o consumidor evita dívidas desnecessárias.

4 – Cuidados com o cartão de crédito: Hoje em dia, recebem-se cartões de bancos, financeiras e até mesmo de instituições com as quais as pessoas nem sequer têm qualquer vínculo, o que é um grande problema. A falta de controle no uso do cartão de crédito acaba gerando uma bola de neve. Outra dica importante é evitar pagar o valor mínimo, deixando para gastar apenas se puder pagar o valor total da fatura. O mesmo cuidado deve ocorrer com cheques e carnês.

 

 Estou inadimplente, e agora?

Procure acertar a situação o mais rapidamente possível. Procure o credor pessoalmente e verifique o valor das dívidas e juros. Feita a proposta pelo credor, verifique se o valor está de acordo com o que pode pagar e, se for preciso, corte despesas desnecessárias para poder efetuar a quitação da dívida e garantir seu nome limpo.

 

Cartilha do orçamento doméstico

A Associação Comercial do Paraná disponibiliza a Cartilha do Orçamento Doméstico nos formatos impresso e on-line, contendo informações e dicas essenciais para o consumidor usar o dinheiro e o crédito de forma responsável.

Planejamento de gastos diminui risco de endividamento