ACP | Associação Comercial do Paraná

Sandro Alex fala na ACP que precisa recuperar credibilidade da Secretaria de Infraestrutura

O Conselho Político da Associação Comercial do Paraná recebeu, no dia 15/04, o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, que falou aos dirigentes da ACP e demais convidados sobre a recuperação da secretaria e os projetos a serem implementados no Paraná em curto prazo. Sandro Alex foi recebido pelo presidente em exercício da ACP, Odone Fortes Martins e pelo  coordenador do Conselho Político, Mário Pereira, além do presidente do Pró-Paraná, Marcos Domakoski e do presidente do Instituto de Engenharia do Paraná, José Rodolfo de Lacerda. A palestra do secretário foi uma promoção do Conselho Político da ACP, Movimento Pró-Paraná e Instituto de Engenharia do Paraná.

O secretário iniciou a palestra na ACP falando que gerencia o terceiro maior orçamento do Paraná, ficando atrás apenas das pastas de saúde e educação. Sandro Alex recebeu a secretaria “judicializada”, ou seja, quase todas as obras em andamento estavam sob investigação de algum órgão fiscalizador, seja o Ministério Público, Gaeco ou Tribunal de Contas. Das 40 obras de recuperação de rodovias que estavam em andamento, todas estavam paralisadas por problemas e nestes primeiros 100 dias de governo, 36 obras já foram liberadas, restando apenas quatro com algum problema, mas em fase final de resolução.

Sob a tutela da Secretaria de Infraestrutura e Logística estão o DER – Departamento de Estradas de Rodagem; a APPA – Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, agora renomeada como Portos do Paraná e a Ferroeste.

Economia de quase R$ 500 milhões

O secretário informou que nestes primeiros 100 dias de atuação, atendendo a um pedido do governador Carlos Massa Ratinho Jr.conseguiu economizar quase R$ 500 milhões. Sandro Alex diz que tem feito visitas constantes ao Ministério de Infraestrutura e ao ministro Tarcísio Gomes de Freitas, fazendo reivindicações em nome do Paraná. “Ouso dizer que o ministro Tarcísio é o melhor quadro do Governo Federal no momento”, disse ele.

Sandro Alex diz que trabalha pela modernização dos aeroportos do Paraná, que estão em processo de repasse à iniciativa privada, conseguindo que no rol de obras a serem realizadas esteja contempladas a terceira pista do aeroporto Afonso Pena; a construção de uma pista que possa atender a voos internacionais no aeroporto de Foz do Iguaçu, além de melhorias nos aeroportos de Londrina e a ampliação do aeroporto de Ponta Grossa.

Sobre as estradas, o secretário trata das concessões rodoviárias em três tempos. No presente, ele cobra que as obras previstas nos contratos sejam cumpridas até 2021, quando terminam as atuais concessões. No tempo passado, acompanha as investigações de irregularidades feitas pelo Ministério Público e no futuro já planeja um novo modelo de concessão das rodovias paranaenses, onde é imperativo conseguir uma redução de 50 a 60% nos valores das tarifas. Segundo ele, algumas estradas do Paraná estão em tão péssimo estado de conservação, que já é não é mais o caso de recuperá-las e sim reconstruí-las. “Tenho vergonha da malha rodoviária do Paraná, em especial de estradas na região noroeste do estado”, afirmou ele. Sandro Alex disse que o Governo do estado vai anunciar um plano de obras de conservação de rodovias com orçamento de R$ 500 milhões e outros R$ 270 milhões serão destinados para duplicações, confecção da terceira faixa, acessos, pontes e viadutos em estradas que não estão entre as pedagiadas.

Sobre o porto de Paranaguá, Sandro Alex afirma que o tempo de espera para navios no local reduziu em 46%, o que tem melhorado o desempenho do porto.

O secretário considera de fundamental importância ter estradas de qualidade para acesso aos municípios paranaenses, partindo de um pensamento básico: “Onde não há boa infraestrutura, o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) é baixo”.

Finalizando, o secretário anunciou a construção da segunda ponte entre Foz do Iguaçu e o Paraguai, com verbas da Usina de Itaipu, mas cuja gestão das obras será delegada pelo Governo Federal ao Governo do Paraná.