ACP | Associação Comercial do Paraná

Vendas de maio crescem 2% em relação a abril

Setores de calçados, vestuário, supermercado, farmácia, móveis e eletros superaram a média de vendas

Pesquisa realizada pelo Instituto Datacenso para a Associação Comercial do Paraná (ACP) entre os dias 10 e 12 de junho, mostra que o volume de vendas do mês de maio apresentou crescimento de 2% em relação ao período anterior. A curva ascendente está relacionada ao Dia das Mães, sendo justificada por 95% dos entrevistados (200 comerciantes e 200 consumidores). Alguns segmentos apresentaram crescimento acima da média, com destaque para calçados (8%), vestuário (4%), supermercados (4%), farmácia (4%), móveis e eletros (3%).

Apesar do balanço positivo em relação ao mês anterior, o índice médio de crescimento comparado ao mesmo período do ano passado, foi negativo em um ponto percentual. A sondagem mostrou ainda que em maio o consumidor curitibano ficou mais cauteloso tanto com as compras a curto e longo prazo, motivado principalmente pelo aumento da inflação.

O valor das compras não habituais do mês ficou em R$ 390, distribuídos entre os segmentos de roupas/acessórios (63%), calçados (33%), utilidades domésticas (11%) e perfumes (10%).

Para a grande maioria dos consumidores, a inflação e a elevação dos preços, no geral, interferiram nas intenções de compra no período. Em comparação com os meses anteriores, o índice de consumidores apreensivos aumentou significativamente, deixando o consumidor curitibano mais pessimista com as compras a curto prazo e cada vez mais cauteloso nas compras a longo prazo.

Segundo uma parcela de comerciantes as vendas do mês de junho serão iguais às de maio, ou mesmo superiores, tendo em vista os descontos, promoções e liquidações promovidos pela rede de comércio, além do Dia dos Namorados e dos jogos da Copa do Mundo na cidade. Mas por outro  lado, também há comerciantes alegando que as vendas de junho serão negativas, devido ao aumento da inflação, estagnação do mercado e endividamento dos clientes.

Os consumidores entrevistados pelo Instituto Datacenso em grupos iguais quanto ao gênero, têm entre 18 e 65 anos e renda familiar mensal entre R$ 1.245 e R$ 6.220.