Vendas do Dia das Mães devem crescer 1,5%, aumentando a esperança do comerciante curitibano

Depois de três anos de recessão, a expectativa do comerciante curitibano em relação ao movimento de vendas motivadas pelo Dia das Mães, segunda data mais importante para o comércio, em comparação com o mesmo período do ano passado, é de crescimento nominal de 6% e 1,5% de crescimento real quando o índice é corrigido pela inflação de 4,57%, acumulada nos últimos 12 meses.

Um dado importante apurado pela pesquisa ACP/Datacenso, coordenada pelo economista Cláudio Shimoyama, é que a maioria dos comerciantes locais (60%) alimenta um sentimento de esperança no aquecimento da economia e melhoria das vendas nos próximos meses, a exemplo do que ocorreu na Páscoa depois de dois anos de quedas acentuadas.

O levantamento foi realizado com 200 comerciantes proprietários ou gerentes de microempresas (72%) e pequenas (28%) pela equipe de pesquisadores do Instituto Datacenso para a Associação Comercial do Paraná, nos dias 19 e 20 desse mês.

Segundo o Instituto Datacenso, com base nas revelações dos comerciantes a previsão positiva para as vendas do Dia das Mães está calcada na realização de promoções de vendas, divulgação da marca na mídia, descontos e formas de pagamento facilitadas e, ainda, os saques do FGTS inativo.

No ano passado a queda nominal nas vendas do período atingiu 8% em relação a 2015, em função do agravamento da crise econômica. Dentre os entrevistados para a pesquisa atual, 62% afirmaram que devem vender mais, enquanto 28% devem igualar o volume do ano passado e 11% terão resultado inferior.

Em relação às formas de pagamento, os lojistas consideram que o parcelamento com cartão de crédito será preferido por 40% dos clientes, pagamento à vista com cartão por 21%, à vista no cartão de débito por 16%, a prazo com carnê de lojas por 16%, ao passo que somente 7% dos compradores devem pagar com dinheiro.

Para 63% dos entrevistados as promoções especiais de vendas serão utilizadas como estratégia para a atração de clientes, argumento que não impressionou 37% dos estabelecimentos ouvidos no levantamento. Descontos para pagamento à vista, promoção de produtos ou mercadorias especiais, sorteios e distribuição de brindes, prêmios e decoração das lojas serão algumas das motivações usadas pelos comerciantes curitibanos para esquentar as vendas desse Dia das Mães.

O Datacenso mostrou ainda que os comerciantes se mostram esperançosos (60%), preocupados (27%), aguardando oportunidades (11%) e desanimados (3%), tendo em vista o atual momento da economia e as melhorias que começam a se delinear para os próximos meses.

 

Vendas do Dia das Mães devem crescer 1,5%, aumentando a esperança do comerciante curitibano
A maioria dos comerciantes locais (60%) alimenta um sentimento de esperança no aquecimento da economia e melhoria das vendas nos próximos meses, a exemplo do que ocorreu na Páscoa depois de dois anos de quedas acentuadas.