Vereadores discutem Plano Diretor de Curitiba na ACP

Os vice-presidentes da Associação Comercial do Paraná (ACP), Airton Hack, Gláucio Geara, Ivo Petris, Jean Michel Galiano e Odone Fortes Martins, além de outros membros da diretoria da entidade, receberam na manhã dessa sexta-feira (11), os vereadores Jonny Stica (PT) e Hélio Wirbiski (PPS), presidente e vice, respectivamente, da Comissão de Urbanismo e Obras Públicas da Câmara, a fim de debater o Plano Diretor de Curitiba para os próximos dez anos.

Segundo Odone Fortes, o papel da ACP nesta ação, será de contribuir com as experiências e os conhecimentos que foram adquiridos no mundo dos negócios e do comércio no decorrer dos 123 anos de existência da entidade.  “Essa é a oportunidade que temos de trabalhar em conjunto com o poder público em prol do desenvolvimento econômico e social da cidade”, afirmou.

Stica lembrou que o ano de 2014 será muito importante do ponto de vista do planejamento urbano, pois haverá a votação do Plano Diretor da cidade, cuja revisão acontece a cada dez anos. Na ocasião o parlamentar mencionou a possibilidade da ACP auxiliar o plano por meio do Centro Vivo na revitalização do bairro Rebouças e do Centro.

Por outro lado Wirbiski ressaltou a importância dos colaboradores formalizarem os pedidos por escrito, afirmando que “dessa maneira as idéias serão melhor organizadas”.

Os vereadores estão se comprometendo a aumentar cinco vezes o número de audiências públicas do que são obrigados pela legislação em vigor. Até a votação do projeto de lei que propõe a revisão do Plano Diretor de Curitiba, em novembro, o Legislativo realizará mais 17 encontros para debater o crescimento da cidade (audiências públicas, fóruns e grupos de trabalho). A prefeitura, em setembro, realizará novas audiências públicas nas regionais da capital.

O Estatuto das Cidades (lei federal 10.257/2001) obriga os municípios brasileiros a revisarem os planos diretores, no máximo, a cada período de dez anos. A última atualização na lei municipal 2.828/1966 (Plano Diretor de Curitiba), foi promulgada em 16 de dezembro de 2004.