ACP | Associação Comercial do Paraná

ACP presta homenagem aos 120 anos da morte do Barão do Serro Azul

Em gesto simbólico pela representatividade do Barão do Serro Azul, fundador da Associação Comercial do Paraná, a entidade juntamente com o Movimento Pró-Paraná e o Instituto Histórico e Geográfico do Paraná, promoveram uma visita ao local em que Ildefonso Pereira Correia foi fuzilado há 120 anos, no km 65 à beira da ferrovia Curitiba-Paranaguá.

A comitiva integrada por empresários e intelectuais, dentre eles o bisneto do barão, Fernando Fontana, desceu a serra de litorina, o trem de luxo do Paraná, e depositaram camélias brancas no local onde o empresário e cinco companheiros foram fuzilados por aliados do Marechal Floriano Peixoto. À beira dos trilhos uma cruz está encravada, local onde as flores preferidas e cultivadas pelo oficial foram lançadas.

Após a descida, os participantes reuniram-se em almoço de confraternização na cidade de Morretes, momento em que puderam narrar algumas passagens da história do ilustre paranaense. “O exemplo de dedicação, coragem e visão de futuro deste cidadão de escol, mesmo mais de um século depois, está indelével na mente de homens e mulheres que lutam pela ética e transparência na atividade empreendedora, na política e mesmo na integração da sociedade”, destacou o presidente Edson José Ramon durante seu discurso.

Num ato simbólico, o presidente do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná, Ernane Straube, entregou a Ramon uma reprodução do pôster “Os Dramas do Paraná” desenhado pelo cartunista Ângelo Agostini e publicado originalmente pelo jornal Don Quixote, do Rio de Janeiro, na década de 90. Nele estão retratados os cinco companheiros mortos junto ao barão –  Balbino de Mendonça, Preciliano da Silva Correia, José Lourenço Schleder, José Joaquim de Moura e Mattos Guedes.

O ex-presidente da ACP Jonel Chede, o bisneto do barão Fernando Fontana,  e o assessor jurídico da ACP Cleverson Marinho Teixeira também prestaram suas homenagens, descrevendo momentos importantes da vida do homem que lutou para evitar maior derramamento de sangue durante a revolução federalista.

Prestigiaram o encontro os convidados Antônio Miguel Espolador, Bernadete Zagonel, Camilo Turmina, Cláudio José Turin, Dalton Rispoli, Edda D. Silva, Estela Pereira Sandrini, Fábio Chedid Silvestre, Gabriel Veiga Ribeiro, Gilberto Carvalho, Gláucio Geara, Iroclê Wykrota, Jandira Scussel, João Edison Gomes, Jonel Chede Filho, Jorge Oliveira Júnior, Leandro Romeiro, Luís Augusto Veira, Marcelo de Souza Teixeira, Marcos Chagas, Nelson Victor Koerich, Odone Fortes Martins, Paulo Eneas Netto, Walter Xavier, Wilson Portes, Elísio Marques, Dirceu Britto, Janary Maranhão Bussmann, Osmário Villatore, Nelson Penteado Alves, Neida Prochmann, Carlos Zatti e Carlos Ravazzani.