ACP reúne órgãos e entidades mobilizadas contra a dengue no Paraná

A Associação Comercial do Paraná (ACP), por meio de seu Conselho Político, reuniu nesta quinta (25), na sede da entidade, representantes de setores responsáveis da sociedade civil organizada, a fim de apresentar e discutir as respectivas ações de combate à dengue que vêm sendo desenvolvidas, como forma de promover cooperação institucional e união de forças em prol da saúde pública.

De acordo com o coordenador do conselho, Sinval Lobato Machado, “o objetivo foi o de enaltecer o cumprimento dos direitos e obrigações compreendidos no conceito de cidadania, dentre eles a contraprestação do cidadão à sociedade, a preservação e elevação dos direitos humanos e fundamentais, a não omissão frente aos problemas e a perpetração de atitudes e interação para o engrandecimento da sociedade”. Os participantes da reunião pertencem a várias instituições da sociedade civil organizada, sindicatos e órgãos públicos do município e do estado.

Em medida de urgência, a presidente Dilma Roussef convocou as Forças Armadas para desenvolver ações nacionais nas cidades mais afetadas pela incidência do mosquito transmissor. No Paraná, 19 cidades receberam a visita dos militares. De acordo com o general  Flavio Marcus Lancia Barbosa, Comandante da Artilharia Divisionária da 5ª Divisão de Exército, sediada no Paraná e responsável pelas atividades desenvolvidas em Curitiba e no litoral. Segundo ele foram aplicadas ações em quatro diferentes fases, sendo que a última ainda entrará em vigor: interna para treinamento do Exército, conscientização, combate com retirada de foco e a última que será de conscientização nas escolas.

“Nosso papel é o de cooperar com estados e municípios e intensificar as ações na esfera da saúde, para com isso integrar esforços e realizações. Agora precisamos trabalhar a conscientização da população. É apenas uma questão de tomar as medidas acertadas para que este problema possa ser solucionado”, disse.

O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde, que esteve representada pelo chefe da Divisão de Informações Epidemiológicas, Raul Junior Bely, admitiu que algumas batalhas contra o mosquito foram perdidas, já que há 10 anos apenas 80 municípios registravam infestação de dengue, sendo que hoje mais de 300 entraram para a lista de locais com incidência do Aedes aegypti. “Não é possível extinguí-lo, mas podemos controlar a epidemia. A dengue no Paraná já se tornou uma endemia, com registros de casos inclusive no inverno. Do total anual, 60% dos focos hoje encontrados estão em território domiciliar”, revelou. Diante desses números, o governador Beto Richa instituiu a Sala Estadual de Coordenação e Controle para o enfrentamento da dengue, zika e chikungunya. O grupo, coordenado pela Secretaria da Saúde, vai gerenciar e monitorar a intensificação das ações de mobilização e combate ao inseto.

“Estamos na fase de avaliação de impacto com base nos boletins da dengue divulgados semanalmente pelo site www.dengue.pr.gov.br, discutindo de forma interinstitucional junto aos membros do grupo formado por vários órgãos de governo e instituições da sociedade civil” descreveu Bely. A equipe deverá trabalhar na mobilização de instituições de ensino, Poder Judiciário e Ministério Público, visando criar mecanismos para o engajamento de toda a sociedade no combate às doenças.

Escolas

Devido ao atraso no calendário escolar motivado pela greve em 2015, as ações em mais de 2 mil escolas estaduais serão reforçadas em termos de conscientização a partir do dia 29 de fevereiro, data em que o ano letivo de 2016 terá início. “Apesar disso, os professores já estão recebendo orientações sobre o assunto”, disse a assistente da chefia do Departamento de Educação Básica da Secretaria da Educação (Seed), Denise Baganha.

Quanto às instituições particulares, o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Estado do Paraná (Sinepe) representado pelo conselheiro Pedro Roberto Wiens, destacou o envio de comunicado online com alerta de prevenção à doença, distribuído para uma base que inclui mais de 20 mil cadastrados e compreende 3 mil instituições educacionais no estado.

Compareceram ao encontro também representantes da Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio-PR), Superintendência de Meio Ambiente da Infraero, Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas no Estado do Paraná (Setcepar), Ceasa-PR, Sindicato da Habitação e Condomínios (Secovi), Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social, Secretaria Municipal de Saúde, Secretaria Municipal do Trabalho e Emprego, Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas do Paraná (Sescap-PR), Sindicatos Permissionários Centrais Abastecimento Alimentos (Sindaruc), Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Paraná (Sinduscon-PR), Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT) e União Geral dos Trabalhadores do Paraná.