ACP | Associação Comercial do Paraná

Amigas da Mama ensinam como enfrentar o câncer

Palestra aborda problemas de mulheres que contraíram a doença

O Conselho da Mulher Executiva da Associação Comercial do Paraná (ACP), coordenado por Edda Deiss de Mello e Silva, promoveu nessa quarta-feira (16), um encontro com a participação da presidente da Comissão de Direito Internacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PR), Ália Haddad, e a presidente da Associação Amigas da Mama (Aama), Valéria Cássia Lopes, que palestrou sobre o tema “O mundo das leis e o câncer de mama”.

Durante a palestra Valéria abordou temas ligados ao câncer de mama, alertando sobre as leis em vigor, mas não aplicadas como deveriam, e as dificuldades que as mulheres de baixa renda enfrentam com os gastos do tratamento, os preconceitos e a burocracia imposta pela Previdência Social. “Hoje estamos aqui discutindo um tema que aflige mulheres de várias classes sociais, e na condição de mulheres que ocupam posição de liderança na sociedade, é nosso dever conduzir e legislar em prol das menos favorecidas e mudar essa triste realidade”, advertiu.

Na ocasião, relatou que teve a doença aos 28 anos e que, felizmente teve condições de fazer um tratamento adequado porque tinha plano de saúde. Lamentou, entretanto, as mulheres que não procuram ou não são atendidas de maneira adequada pela saúde pública. Criticou o término dos programas Mãe Curitibana e Mama Nenê. “As autoridades precisam se conscientizar que o tratamento preventivo é mais eficaz e menos oneroso. Assim não se entende como programas como esse tenham sido suspensos, pois isso significa um retrocesso”, afirmou, lembrando que os homens, mesmo em menor proporção, também aparecem nas estatísticas do câncer de mama.

Segundo os dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), estima-se que este ano haverá aproximadamente 50 mil novos casos de câncer no Brasil, e que a cada dez mulheres diagnosticadas quatro delas terão câncer de mama. Esse índice é um dos maiores do mundo.

Amigas da Mama

A Associação das Amigas da Mama (Aama) foi fundada em 2001 por um grupo de mulheres que desenvolveram o câncer de mama e se conheceram durante o tratamento.

Hoje as voluntárias que já passaram pela doença, apoiam e auxiliam o tratamento de outras mulheres e o resgate da autoestima, o que é muito importante para enfrentar a doença.

A vice-presidente da Aama, Gladys Haluch, apresentou produtos confeccionados pelas voluntárias como próteses, almofadas de apoio, bolsas para dreno, perucas e outros acessórios que visam o bem estar das pacientes.