Certificação de mediadores internacionais é debatida na Arbitac

A advogada Ana Maria Maia Gonçalves, presidente do Instituto de Certificação e Formação de Mediadores Lusófonos (ICFML), cuja missão é promover paz e colaboração mediante o desenvolvimento da medição de conflitos em países de língua portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor), esteve em Curitiba na última quinta (25) e sexta (26) para discorrer sobre as especificações do Master Class em Mediação de Conflitos.

A jurista portuguesa que tem longa experiência na área foi recebida pelos advogados Rodrigo Vidal e Henrique Gomm Neto, respectivamente presidente e vice da Câmara de Mediação e Arbitragem (Arbitac) da Associação Comercial do Paraná e, ainda, pelo desembargador Roberto Portugal Bacelar, do Tribunal de Justiça do Paraná.

Também ouviram a exposição de Ana Maria, interessados em aprofundar seus conhecimentos em técnicas de mediação,  os desembargadores aposentados do TJ, Antonio Martelozzo e Walter Hessel,.

O processo de certificação do ICFML, segundo a presidente, “é único no estabelecimento de critérios internacionais de qualidade para a profissão de mediador de conflitos em países de língua portuguesa”, seguindo as mais avançadas técnicas praticadas por mediadores em todo o mundo, além dos “critérios definidos pelas mais prestigiadas instituições de mediação a nível mundial estabelecidas na Austrália e Canadá”.

Ana Maria revelou, ainda, que a certificação emitida pelo instituto que preside “é a única forma de um mediador brasileiro, falando em português, ter acesso a um reconhecimento internacional”. Os mediadores certificados com base na experiência comprovada e outros critérios definidos pelo IMI passam, imediatamente, a integrar a lista de mediadores internacionais da entidade com abrangência global.