Comércio reabre em Curitiba

“O Governo do Estado informa que as medidas restritivas constantes do decreto 4942/20, válidas para as regionais de Saúde de Londrina, Cascavel, Cornélio Procópio, Toledo, Cianorte, Foz do Iguaçu e Região Metropolitana de Curitiba perdem efeito a partir desta terça-feira (14). A decisão foi tomada por orientação da vigilância epidemiológica. As restrições para a 1ª Regional de Saúde, do Litoral, serão mantidas até o dia 21 de julho.”

A informação foi divulgada em nota do governo no início da noite desta terça 14/07. Com isso, passa a valer em Curitiba, pelo menos para esta quarta-feira, as normas definidas no decreto municipal 810/2020 de 19 de junho, que autoriza o comércio de rua a funcionar entre 10h e 16h e shoppings entre 12h e 20h, com fechamento aos sábados e domingos. Há informação, a ser definida ainda em novo decreto, de que o horário do comércio de rua será estendido até 18h. Escritórios em geral, empresas de tecnologia e coworking, pelo decreto de junho, na “bandeira laranja” da situação epidemiológica da cidade, estão autorizados a funcionar seis horas por dia, exceto para atividades de home-office. Serviços de call center e telemarketing, exceto aqueles vinculados aos serviços de saúde ou executados em home-office, das 9 às 15 horas e das 15 às 21 horas.

No início da noite, a prefeitura emitiu nota sobre as novas regras municipais para o controle da Covid-19:

“Com o fim das medidas estabelecidas pelo governo estadual no Decreto 4942, o regramento em vigor para o município de Curitiba volta a ser o estabelecido no Decreto Municipal 810/2020.

Essas medidas valem até a publicação de um novo decreto, o que deve acontecer ainda esta semana com o objetivo de atualizar o conteúdo legal frente ao cenário da pandemia de covid-19 na cidade”.

Para o presidente da ACP, Camilo Turmina, a medida atende as demandas do comércio da cidade, que enfrenta grandes dificuldades por conta das medidas de combate à pandemia da Covid-19. Turmina reforça que os comerciantes estão comprometidos a seguir rigorosamente as normas sanitárias e que a população deve estar atenta e evitar aglomerações e deslocamentos desnecessários.”O momento exige equilíbrio entre os cuidados com a saúde e o funcionamento do comércio. O comprometimento de todos vai impedir um um aprofundamento da crise,  com o fechamento de lojas e demissões em massa. Vamos tomar os devidos cuidados para que possamos continuar trabalhando e em breve poderemos voltar à normalidade”, destacou o presidente da ACP.