Nota Oficial – Lockdown Curitiba

Nesta semana, em que o primeiro caso da covid-19 confirmado no estado do Paraná completou um ano, infelizmente estamos no pior período já registrado.

Apenas neste último sábado (13), a cidade de Curitiba registrou 31 novos óbitos e 1.262 casos da doença. No estado, a ocupação de leitos de UTI adulto voltados para o tratamento da covid chega a 97%. Na capital paranaense, o colapso está ainda mais próximo: são 99,1% de lotação, o equivalente a 4 leitos de UTI disponíveis para toda a cidade neste final de semana.

A ACP, desde o início da pandemia, foi protagonista nos diálogos pela permissão do funcionamento do comércio não essencial na capital. Reforçamos sempre a necessidade de seguirmos com rigor os protocolos sanitários dentro dos estabelecimentos, mantendo o devido distanciamento e aumentando o controle de acesso aos espaços.

Sabemos, mais do que ninguém, os impactos do lockdown para a saúde financeira de boa parte dos negócios. No início de março, fomos, junto da Abrasel, Aepar e Faciap, ao vice governador Darci Piana, com o intuito de propormos que as atividades de comércio e serviços fossem mantidas, para que todos pudessem trabalhar – o que de fato nos foi permitido a partir do decreto estadual publicado em 5 de março.

Mas o agravamento da pandemia e aumento no número de casos tornam o momento atual totalmente diferente do encontrado na semana da permissão. Por esses motivos, e considerando a ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Paraná, que pede a suspensão de atividades não essenciais em todo o estado, a ACP vem reafirmar a necessidade de cumprirmos o lockdown de 9 dias corretamente, para que possamos contribuir para a diminuição na circulação de pessoas pela cidade e a consequente pressão no sistema de saúde.

Temos consciência de que este é mais um sacrifício para o comércio, mas que precisa ser adotado para que não tenhamos de passar mais tempo fechados. O agravamento da pandemia com as novas variantes mais contagiosas do novo coronavirus está exigindo, mais do que nunca, a união e o esforço de todos para vencer o maior desafio desta geração. Precisamos primeiro manter a vida para que possamos cuidar da economia propriamente no futuro próximo.

Camilo Turmina
Presidente da Associação Comercial do Paraná