Corredor Cultural começa a sair do papel

Projeto integra todo o perímetro desde a Reitoria da UFPR até o Paço da Liberdade

Bem Paraná

Instituições públicas e privadas sediadas na região central de Curitiba assinam hoje (30) um protocolo de intenções para implementação do programa Corredor Cultural. O programa nasce com o objetivo de promover e apoiar ações culturais com foco na área de abrangência entre a Reitoria da Universidade Federal do Paraná e a Associação Comercial da Paraná (ACP), visando fortalecer a diversidade cultural e a economia daquela região do centro de Curitiba.

O projeto do Corredor Cultural começou a ser pensado em 2009, na primeira gestão de Zaki Akel Sobrinho como reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR). O protocolo de intenções do Corredor Cultural será firmado pelos representantes da Universidade Federal do Paraná, Teatro Guaíra, Fundação Cultural de Curitiba, Círculo de Estudos Bandeirantes da PUC-PR, Associação Comercial do Paraná, Federação do Comércio do Paraná – Fecomércio, Caixa Cultural de Curitiba e Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Paraná. O programa está aberto à adesão de novos parceiros.

Com o documento, o objetivo é oficializar o envolvimento de instituições públicas e privadas no fortalecimento da diversidade cultural, da cidadania e da economia na cidade. O interesse de desenvolver ações articuladas começou na UFPR e aos poucos foi ganhando reforço de parceiros com o mesmo propósito de agregar seus ambientes em busca de maior socialização, educação e difusão da arte.

Na prática, o Corredor Cultural formará um perímetro — entre o Paço da Liberdade e o Complexo da Reitoria da UFPR, com todos os ambientes das instituições envolvidas — revitalizando estruturas existentes e mesmo instalando novos aparatos (teatro, cinema, museu, cafés).

Assim, atividades culturais poderão se integrar; obras terão chance de intercâmbio entre instituições; o espaço aberto à população e aos artistas paranaenses para exposições, ensaios, apresentações, oficinas, entre tantas possibilidades, será multiplicado; a cooperação com o turismo cultural de Curitiba contribuirá para maior desenvolvimento econômico e melhoria das condições sociais da região; além de novas oportunidades que surgirão para interação entre a Academia e as comunidades.