Dia das Crianças terá queda real de 11% na compra de presentes

O consumidor curitibano médio com idade entre 25 e 44 anos e renda familiar mensal variando de R$ 1.245 a R$ 6.220, pretende gastar R$ 98 nos presentes para o Dia das Crianças (12 de outubro), segundo apurou a pesquisa ACP/Datacenso realizada nos dias 28 e 29 de setembro, em entrevistas diretas com 200 comerciantes e 200 consumidores.

A expectativa de gerentes e supervisores ouvidos (83%), ou proprietários e sócios (17%) de microempresas (65%), pequenas (32%) e médias (3%) é que as vendas motivadas pelo Dia das Crianças sofram a queda nominal de 2% em comparação com igual período do ano passado. Corrigida pela inflação dos últimos 12 meses de 8,97% a queda real será de 11%.

Para o presidente Antonio Miguel Espolador Neto, da Associação Comercial do Paraná (ACP), “os números levantados pelo Instituto Datacenso mostram que a crise econômica persiste, levando o consumidor a ser mais cuidadoso com os dispêndios mesmo em datas especiais como o Dia das Crianças”.

Em 2014 o gasto com presentes por consumidor chegou a R$ 103, acusando esse ano a queda nominal de 5% e real de 14%. Mais da metade (54%) dos consumidores ouvidos na pesquisa pretendem presentear uma única criança com brinquedos tradicionais (carrinhos e bonecas). Roupas foram citadas por 27% dos consumidores, livros por 6%, videogames por 4%, bicicletas ou joias e relógios por 2%, respectivamente. Dinheiro ou passeios para filhos ou netos estão na preferência de 1% dos consumidores.

Como sempre o pagamento das compras será feito com cartão de crédito parcelado (53%), à vista com dinheiro (14%), débito no cartão (14%), à vista com cartão (10%), a prazo no carnê (8%) ou a prazo com cheque (1%).

Promoções especiais com produtos (56%), sorteio de prêmios ou distribuição de brindes (21%), campanha nacional de rede (10%), além de descontos para pagamento à vista, aumento do número de parcelas e até o “pague um e leve dois”, são algumas das estratégias adotadas pelos comerciantes para incrementar as vendas relativas ao Dia das Crianças.

O movimento estimado no comparativo com o mesmo período de 2014, será superior para 29% dos comerciantes, igual para 37% e inferior para 34%, índices que compõem um quadro ainda preocupante para rede de varejo.

O Datacenso aproveitou a pesquisa para medir a expectativa de venda dos empresários em 2017, constatando que 65% deles mostram-se entusiasmados, ao passo que 27% estão preocupados, 6% aguardando oportunidades e 2% desanimados. Especificamente em relação ao Natal desse ano, 45% dos comerciantes acham que terão movimento igual ao do ano passado, 31% revelaram que as vendas serão inferiores e apenas 24% admitem que serão superiores.