ACP | Associação Comercial do Paraná

Dia do Namorados terá pequeno incremento no comércio curitibano

A pesquisa ACP/ Datacenso, realizada entre os dias 28 a 29 de maio em Curitiba, revelou que o comércio espera ter aumento de vendas de 2% para 38% dos comerciantes ouvidos, impulsionado pelo Dia dos Namorados. Separados por uma pequena diferença de opiniões, 34% dos empresários esperam vender menos e 31% estão preparados para manter o mesmo movimento do ano anterior.

O índice de crescimento esperado para este ano está equiparado ao mesmo período do ano anterior. A estimativa da média do valor que o consumidor curitibano pretende gastar no total da compra é de R$ 165,00.

Como opções de presentes citados pelos consumidores, os itens de confecção lideram o ranking. Os artigos mais citados foram roupas (45%), perfume (15%), calçados (9%), joia/ relógio (8%), chocolates/flores (6%), livros (3%), celular/smartphones (3%), eletrônicos (3%), almoço/jantar (2%), cesta de café da manhã (2%), outros (6%). Os indecisos somam 10%.

De acordo com parte dos 200 comerciantes entrevistados, a previsão positiva para as vendas é explicada, principalmente, pelos seguintes fatores: realização de promoções, novas opções de presente para o dia dos namorados e divulgação da marca na mídia.

Porém, quando comparada à inflação, a previsão de crescimento ficará abaixo do índice acumulado até abril/2014, que foi de 5,9%. De acordo com o diretor do Instituto Datacenso, Cláudio Shimoyama, a baixa expectativa de crescimento deve-se, principalmente, à alta da inflação, da taxa de juros e ao desempenho da economia, no geral, que está aquém do ano passado. “Isso mostra um comerciante mais cauteloso, em função do crescimento das vendas nos últimos meses, que vem apresentando desempenho menor que em 2013”, descreveu.

Do outro lado do balcão, o perfil dos 200 consumidores curitibanos entrevistados está equilibrado quanto ao gênero, com faixa etária entre 18 a 35 anos e renda familiar mensal entre R$ 1.245,00 a R$ 6.220,00. As principais formas de pagamento que o consumidor vai utilizar serão: à vista e dinheiro (36%) e à vista com cartão de crédito (29%).