ACP | Associação Comercial do Paraná

Discurso do Presidente Glaucio Geara

Em um evento histórico, a Associação Comercial do Paraná recebeu o Presidente da República, Michel Temer, na manhã de terça-feira (16), para homenageá-lo com o título “Cidadania ACP”. Segue na íntegra o discurso de saudação do presidente da ACP, Glaucio Geara:

“Senhor presidente da República

É com grande honra que a Associação Comercial do Paraná abre as portas para Vossa Excelência neste dia que certamente ficará marcado em nossa rica história de 128 anos.

Somos uma entidade independente, com mais de 30 mil associados desde micro, pequenas, médias e grandes empresas instaladas em todas as regiões do Paraná.

A ACP, como entidade apartidária, porém não apolítica, sempre se notabilizou pela postura clara em defesa do Estado Democrático de Direito – e entre outros valores éticos e morais, do respeito ao pensamento contraditório.

Nossa agenda propositiva vem de longa data.
A ACP foi fundada no longínquo 1890, no despertar histórico da República brasileira, por um paranaense com enorme capacidade de olhar para o futuro – Ildefonso Pereira Correia – junto a um grupo de amigos também visionários.

Pioneiro e corajoso, o arrojado empreendedor que havia recebido do Imperador Pedro II – pelos excelentes serviços prestados à Nação – o título de Barão do Serro Azul, dedicou-se também à educação, arte, cultura e filantropia, entre outros valores éticos e morais.

Inspirados na obra deste grande brasileiro, senhor presidente, a ACP, ao longo dos seus 128 anos de existência, vem atuando, com firmeza, na defesa dos interesses do setor produtivo e da sociedade.

Foi esta saga de excelentes aportes prestados aos empreendedores, que contribuiu para que a entidade conquistasse o respeito da sociedade e a credibilidade que desfruta frente aos poderes que corporificam a República Federativa do Brasil.

Há pouco, senhor presidente, nas semanas que antecederam o primeiro turno das eleições, recebemos aqui candidatos à presidência, governo estadual e ao Congresso Nacional, para debaterem suas propostas com nossos associados, uma tradição de nossa casa em períodos pré-eleitorais.

Manifestamo-nos, também, publicamente, pela defesa do voto consciente, pois a razão da democracia reside no direito ao exercício do voto como instrumento de soberania popular.

A propósito, presidente Michel Temer, quero aqui exaltar sua postura de verdadeiro estadista diante da nação e das forças políticas, frente a radicalização e divisão ideológica raras vezes observados neste país.

Com sua larga experiência política e sua formação intelectual e jurídica, Vossa Excelência marcará sua passagem pelo comando da Nação -neste momento conturbado – pela firmeza e devida equidistância tão necessárias para que os ânimos sejam serenados.

O povo brasileiro, por formação histórica e cultural, tem o espírito cordial, afeito ao diálogo e resistente às posições extremadas. Em que pese a polarização política que vivemos neste momento, as instituições democráticas funcionam em sua plenitude, na certeza de que nossas conquistas democráticas estarão preservadas.

Presidente Michel Temer:

A Associação Comercial do Paraná instituiu o título de Cidadania ACP com a finalidade de prestar homenagem e reconhecimento à atuação de personalidades que se destacam no mundo dos negócios, na política, nas profissões liberais e outros setores da atividade humana.

As razões que ensejaram a entidade a conceder esta justa homenagem a Vossa Excelência, remetem ao seu relevante papel desempenhado como presidente da República na busca da estabilidade econômica, controle da inflação e, mais importante, na condução e encaminhamento das tão necessárias reformas constitucionais.

A história reconhecerá os significativos avanços de seu governo nos campos político, econômico e institucional, a começar pelo choque de credibilidade com o novo ordenamento no comando da economia, o que levou de imediato ao controle da inflação até então corroendo o poder de compra dos brasileiros.

O estancamento da sangria da Petrobras, que saiu de sua pior crise para uma lenta, porém consistente recuperação, é outro marco de seu governo, a exemplo da aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Teto de Gastos com base no princípio de que “não se pode gastar mais do que se arrecada”.

De junho 2016 a março de 2018, a taxa básica de juros da economia, Selic, saiu de 14,25% para 6,50%, de acordo com dados do Banco Central graças a uma política monetária que redundou também em impactos positivos no controle da inflação.

Mas, sem dúvida, senhor presidente, a aprovação da reforma trabalhista, em julho de 2017, que alterou mais de 100 pontos da Consolidação das Leis do Trabalho, constitui a mais relevante obra de seu governo na construção de um ambiente de negócios mais favorável ao empreendedorismo e aos princípios da moderna economia de mercado.

A reforma trouxe grande avanço nas relações trabalhistas, configurando efeitos positivos não somente pela modernização da legislação, mas também pelo fato de que se tira do Estado a intermediação entre a negociação entre trabalhador e empregador.

A verdade é que a legislação antiga, tendo sido criada há mais de 70 anos, não tinha mais como ser aplicada nas relações trabalhistas atuais sem prejuízos nos dois lados – empregado/empregador, tendo sido preservados os direitos constitucionais do trabalhador.

Essencial reforçar também os esforços de Vossa Excelência no encaminhamento da tão aguardada reforma previdenciária, tema, aliás, tratada em sua recente visita a Nova York. Seu posicionamento, naquela oportunidade, reacende as esperanças de que a questão da previdência possa ser resolvida – ou pelo menos bem conduzida – até a posse do presidente que será eleito no próximo dia 28.

Recapitulo aqui suas palavras dirigidas a empresários brasileiros e americanos neste encontro nos Estados Unidos:

Abre aspas: “Procurarei o presidente eleito. E tenho certeza que, ao procurá-lo, ele atentará para o fato de que a medida é indispensável. Não é essencial para um governo, é essencial para o Brasil”. Fecha aspas

Confiamos, presidente Temer, que o escolhido pela população brasileira terá espírito republicano, sensibilidade e responsabilidade para tratar este tema com a mais absoluta prioridade.

Tão urgente quanto a reforma previdenciária, a reforma tributária encontra-se pronta para ser votada pela Comissão Especial da Câmara dos Deputados. A PEC 293, relatada pelo ilustre deputado paranaense Luiz Carlos Hauly, se aprovada, trará, com certeza, a necessária racionalização tributária, tornando mais justa e eficiente a cobrança de impostos e contribuições no país.

Cabe ressaltar, mais uma vez, que o legado deixado por Vossa Excelência representa avanços há muito aguardados pela sociedade brasileira.

E de modo simultâneo, cria as condições para que seu sucessor assuma o posto num ambiente institucional de estabilidade e favorável à condução das reformas constitucionais.

Afinal, as eleições deste ano desenharam um novo cenário político no país, em que a Câmara e o Senado terão a maior renovação das últimas décadas, fator que demandará ampla capacidade de negociação e articulação de todas as frentes políticas envolvidas.

Presidente Michel Temer:

Estamos aqui hoje para ouvi-lo nesta honrosa visita à nossa entidade. Celebramos com alegria sua presença, presidente, e a deferência para nos brindar com sua palestra sobre o panorama econômico do Brasil.

Sabemos de todas as dificuldades que o senhor teve na condução do seu governo e dos desafios enfrentados para tirar o Brasil da maior crise econômica de sua história.

Reconhecemos, mais uma vez, a firmeza com que pautou o exercício da presidência, assim como enxergamos a importância vital de seu papel na transição para o próximo governo.

Temos certeza que o presidente a ser eleito no próximo dia 28, quando receber as faixas de suas mãos, encontrará um país mais pacificado, pronto para voltar a crescer, com capacidade de reduzir as desigualdades, preparado para avançar na educação, na saúde, na segurança…

Enfim, um país que possa ocupar o devido espaço de relevância que lhe cabe no mundo de hoje.

Muito obrigado.”

 

Glaucio Geara, presidente da ACP.