Elias Mattar Assad fala sobre violência contra a mulher

O Conselho da Mulher Empresária (CME), coordenado pela vice-presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Maria Cristina Coutinho, promoveu nessa segunda-feira (31) a reunião mensal das conselheiras, que além das atividades rotineiras ouviram a palestra do advogado criminalista Elias Mattar Assad sobre a Lei Maria da Penha e a prática da violência contra a mulher.

O encontro foi prestigiado pelo vice-presidente Gláucio José Geara, que em nome da instituição fez a saudação ao conferencista convidado, destacando sua dedicação e competência profissional ao longo da carreira.

Mattar começou a trabalhar em 1973, na Lapa, “no escritório de advocacia pertencente a meu pai”, para depois montar seu próprio escritório em Curitiba, onde prosseguiu sua trajetória no campo da criminalística. Esse profissional do Direito tem-se notabilizado pelas inúmeras atuações em júris populares de casos que chamaram a atenção da mídia e da sociedade.

Discorrendo sobre o tema específico – a Lei Maria da Penha – o advogado comentou as dificuldades inerentes ao relacionamento entre seres humanos, especialmente entre homem e mulher, lembrando que uma espécie de “paranóia muitas vezes é alimentada até ficar incontrolável, gerando a violência e o chamado crime passional”.

Como profissional experiente Mattar revelou que “ninguém mata ou agride por amor”, como muitos pretendem justificar a atitude extrema, “mas por paixão”, que acaba se tornando um sentimento difícil de reprimir.

Com o advento da Lei Maria da Penha, que considerou muito convincente, diante de uma queixa “qualquer delegacia de Polícia ou delegado estão obrigados a prestar socorro às mulheres vítimas da violência”, o que antes não acontecia no Brasil.

Outubro Rosa

A coordenadora do CME, Maria Cristina Coutinho, aproveitou a oportunidade para dar informações sobre o planejamento da campanha Outubro Rosa, que tem o objetivo de massificar informações sobre o câncer de mama, prevenção e cura, com eventos especiais e palestras médicas durante todo o mês.

A preocupação dos organizadores é intensificar a atuação da campanha tendo em vista que o número de vítimas da doença triplicou nos últimos meses, revelou Maria Cristina.

A meta das entidades envolvidas na campanha é vender dez mil camisetas alusivas, cuja mensagem é a defesa da vida, dedicando parte da renda ao Hospital Erasto Gaertner, tradicional estabelecimento hospitalar de tratamento do câncer em Curitiba. A campanha será oficialmente lançada no dia 1º de outubro, devendo ocorrer no domingo seguinte (dia 4) uma grande caminhada que sairá de vários pontos para a grande concentração na Praça Santos Andrade, no centro da cidade.